PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Homem paga para ter 'experiência completa' com pantera e acaba no hospital

Michael Poggi, à esquerda, terá que se responsabilizar pelos danos a Dwight Turner, à direita - Michael Poggi / Facebook/ Local 10
Michael Poggi, à esquerda, terá que se responsabilizar pelos danos a Dwight Turner, à direita Imagem: Michael Poggi / Facebook/ Local 10

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/10/2020 19h14

Dwight Turner queria interagir com uma pantera negra, tirar algumas fotos e brincar com ela. Então, ele recorreu a Michael Poggi, que dizia ter um santuário para bichos raros e ameaçados de extinção na Flórida, nos EUA, mas a sua experiência se tornou um pesadelo logo que entrou na jaula. Ele foi atacado, e os ferimentos causados por Dasha fizeram com que o homem ficasse uma semana no hospital.

O norte-americano havia pagado a quantia de US$ 150 (R$ 850) para ter uma "experiência de contato completa" com o felino, na cidade de Davie, só que a pantera não reagiu bem à presença do estranho em seu recinto e avançou com agressividade.

Segundo a Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida (FWC), o couro cabeludo de Dwight estava "pendurado na cabeça" e sua orelha direita foi rasgada ao meio.

O ocorrido fez com que a vítima entrasse na justiça contra o proprietário do espaço, que também trabalha no mercado imobiliário, por permitir o contato com uma espécie extremamente perigosa, além de manter bichos selvagens em cativeiro em condições pouco seguras. Ainda que Dwight tenha assinado um termo que dizia que ele estava ciente dos riscos, como supostamente todo o negócio era ilegal, o documento não teria qualquer validade.

Michael Poggi, até o momento, não se manifestou e a página do Facebook do lugar o qual ele geria foi desativada. Já em seu perfil pessoal é possível ver fotos de diversos animais que ele possui, ademais da pantera, como macacos, uma cobra e uma alpaca.

Internacional