PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Empresa admite culpa após cliente morrer esmagado em poltrona no cinema

Imagem de pipoca em poltrona vazia do cinema - Heath Korvola/Getty Images/DigitalVision
Imagem de pipoca em poltrona vazia do cinema Imagem: Heath Korvola/Getty Images/DigitalVision

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/04/2021 12h22

A empresa britânica Vue Entertainment admitiu culpa após um jovem pai ter sido esmagado até a morte em uma poltrona elétrica reclinável em Birmingham, no Reino Unido, em março de 2018. De acordo com o The Sun, a companhia reconheceu que falhou em garantir segurança para o cliente.

Ateeq Rafiq, de 24 anos, morreu esmagado ao tentar procurar suas chaves e o telefone embaixo de sua poltrona. O assento reclinável tinha um apoio para os pés que caiu sobre ele. Sua esposa Ayesha Sardar tentou segurar o apoio e alertou a equipe no local sobre o acidente.

De acordo a publicação, os funcionários do cinema tentaram por 15 minutos liberar Rafiq do assento, mas os botões que acionavam o apoio para os pés não funcionavam. Os paramédicos finalmente chegaram e levaram o homem para o hospital. Ele morreu por falta de oxigênio no cérebro.

A empresa se declarou culpada por não garantir que as pessoas não estivessem expostas a riscos à sua saúde e à segurança e por não fazer uma avaliação de risco adequada em relação ao uso das poltronas elétricas no cinema.

O inquérito da morte de Raqif apontou que no assento faltava uma barra que permitiria sua libertação.

A sentença do caso foi adiada para o dia 20 de julho.

Internacional