PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Pescador inglês captura rara lagosta azul e decide devolver animal ao mar

Lagosta azul muito rara é capturada e devolvida ao mar na Inglaterra - Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn / National Lobster Hatchery
Lagosta azul muito rara é capturada e devolvida ao mar na Inglaterra Imagem: Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn / National Lobster Hatchery

Do UOL, em São Paulo

21/04/2021 19h40

Uma lagosta azul extremamente rara, encontrada a cada dois milhões de exemplares, foi capturada por um pescador na costa da Cornualha, na Inglaterra, e chamou muita atenção por sua tonalidade.

Tom Lambourn, da cidade de Newlyn, pescava próximo da cidade costeira de Penzance quando capturou o crustáceo de aproximadamente 30 centímetros em uma armadilha de lagostas.

Ele registrou fotos do achado antes de devolver a lagosta ao mar, já que ela não estava no tamanho permitido para captura. A devolução aconteceu também devido à consciência do pescador, para que a lagosta "continuasse crescendo".

"Em cada pote você nunca sabe o que vai estar dentro e eu certamente nunca vi uma lagosta dessa cor antes", disse Lambourn ao jornal Daily Mail.

Ele contou mais sobre a emoção do momento: "Essa é apenas a minha segunda temporada de pesca, então acho que tive muita sorte. Eu medi [a lagosta] e ela estava subdimensionada", declarou justificando que não teria intenção de manter o animal capturado.

Tom Lambourn, pescador - Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn - Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn
Tom Lambourn disse que se crustáceo raro encontrado fosse maior, iria ceder para instituição
Imagem: Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn

Uma raridade

O jovem pescador de 25 anos afirmou que, se o animal fosse maior, ele também não iria comercializá-lo e sim enviaria para o Incubatório Nacional de Lagosta (National Lobster Hatchery), órgão para o qual ele enviou fotos do crustáceo quando chegou em terra firme.

"É uma transformação de cor bastante rara de se encontrar, cerca de uma a cada dois milhões [de exemplares], então ficamos maravilhados quando Tom nos enviou as fotos", explicou um porta-voz do Incubatório Nacional em Padstow, na Cornualha, em uma publicação no Facebook da instituição.

O Daily Mail afirmou que o supervisor do Incubatório Nacional, Ben Marshall, reforçou a raridade do achado do pescador e disse ser "muito interessante ver uma lagosta azul".

Lagosta comum e lagosta azul (rara) - Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn / National Lobster Hatchery - Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn / National Lobster Hatchery
Uma lagosta comum ao lado da rara lagosta azul
Imagem: Reprodução/ Facebook / Tom Lambourn / National Lobster Hatchery

"Lagostas azuis têm uma pigmentação de cor diferente em suas cascas, o que significa que elas são muito mais difíceis de camuflar, então são presas, reduzindo seu número", explicou Marshall.

O jornal britânico ainda relembrou que em 2005, o professor Ronald Christensen, da Universidade de Connecticut (EUA), descobriu que as lagostas azuis adquiriram essa cor como resultado de um defeito genético causado pelo excesso de uma proteína específica.

Na ocasião, ele disse que suspeitava que nasçam muitos exemplares do crustáceo, mas como sua cor se destaca entre os predadores, ele se torna um alvo extremamente fácil.

Segundo o Daily Mail, os pescadores que capturam um raro exemplar do animal acreditam que seja um sinal de boa sorte e geralmente não comem o crustáceo.

Internacional