PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Empresa modifica mosquitos geneticamente para controlar doenças na Flórida

Empresa modificou mosquito transmissor de doenças como a Dengue - Reuters
Empresa modificou mosquito transmissor de doenças como a Dengue Imagem: Reuters

Colaboração para o UOL

28/04/2021 18h48Atualizada em 29/04/2021 19h13

Uma empresa britânica de biotecnologia iniciou nesta semana um projeto para controlar doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti na Flórida, nos Estados Unidos, utilizando mosquitos geneticamente modificados.

Segundo o jornal Miami Herald, a Oxitec está colocando caixas com ovos do Aedes Aegypti, água e comida em seis locais de Florida Keys, arquipélago de ilhas tropicais no sul do estado.

A empresa criou um "mecanismo de morte" no Aedes Aegypti macho para evitar a criação de filhotes femininos resultantes do acasalamento, já que são as fêmeas que transmitem doenças como dengue, febre amarela, zika e chikungunya.

"As filhas desses encontros não podem sobreviver, e a população de Aedes aegypti será posteriormente controlada", explicou a Oxitec em nota ao Miami Herald.

Segundo a empresa, o Aedes Aegypti representa cerca de 4% da população de mosquitos de Florida Keys, mas é responsável por praticamente todas as doenças transmitidas aos humanos.

O projeto foi aprovado pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, pelo estado da Flórida e pelo distrito de controle de mosquitos local. A ideia, no entanto, é reprovada por alguns moradores da Flórida, que se preocupam se a modificação genética dos mosquitos pode causar danos ao meio ambiente e aos humanos, como alergias.

A Oxitec, porém, afirma que os mosquitos não causam reações alérgicas e diz que a empresa recebeu a aprovação unânime de sete departamentos e agências do estado da Flórida (EUA). A empresa também alega ter mais de 100 estudos que comprovam a eficácia do método.

Internacional