PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Deputado maori entoa haka no parlamento neozelandês e é expulso

O parlamentar já foi convidado a se retirar em outra ocasião - Reprodução/ Parliament TV
O parlamentar já foi convidado a se retirar em outra ocasião Imagem: Reprodução/ Parliament TV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/05/2021 11h20Atualizada em 12/05/2021 11h20

Um dos líderes do Partido Maori na Nova Zelândia foi expulso do parlamento depois de protagonizar um canto cerimonial. Rawiri Waititi se irritou durante um debate sobre o sistema de saúde e acusou o partido da oposição de racismo e, ao ser convidado a se sentar, preferiu ir até uma posição de destaque e fazer o haka, que simboliza um desafio ou um momento de conflito. Apesar de não fazer a dança completa, como é famosa no rugby, ele entoou um canto tradicional.

Há semanas, discute-se o sistema de saúde do país e os ânimos têm ganhado maiores proporções após o governo anunciar a expansão dos serviços para o grupo étnico maori. O Partido Nacional, que representa a oposição, afirmou que a administração estaria criando "agenda separatista", o que desencadeou a reação de Rawiri.

O neozelandês, de acordo com o The Guardian, havia dito: "Nas últimas duas semanas, houve propaganda e retórica racista relativamente às pessoas indígenas. Isso não só é um insulto para elas, mas também diminui a dignidade da Câmara". E acrescentou: "Quando se trata de direitos e opiniões de pessoas indígenas, essas opiniões devem vir de pessoas indígenas".

Foi então que o presidente do parlamento, Trevor Mallard, pediu ao deputado que se sentasse, só que ele se dirigiu ao centro do salão e entoou a haka, o que resultou em sua expulsão.

Esta não é a primeira vez que o parlamentar é afastado da câmara. Em fevereiro, o maori precisou sair por ignorar o código de vestimenta e não usar uma gravata, que ele denominou "nó de forca colonial".

Internacional