PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Nova Zelândia tem quatro feridos após ataque a facadas em supermercado

Equipe de supermercado se abraça enquanto policiais levam vítima a uma ambulância do lado de fora de um supermercado Countdown no centro de Dunedin - Christine O"Connor/Otago Daily Times via AP
Equipe de supermercado se abraça enquanto policiais levam vítima a uma ambulância do lado de fora de um supermercado Countdown no centro de Dunedin Imagem: Christine O'Connor/Otago Daily Times via AP

Colaboração para o UOL

10/05/2021 10h55

Quatro pessoas ficaram feridas, três em estado crítico, após um ataque a facadas em um supermercado na cidade de Dunedin, na Nova Zelândia. Dois funcionários do supermercado estão entre os feridos.

Segundo reportagem do jornal britânico The Guardian, a polícia disse que um suspeito foi preso e levado sob custódia.

A primeira-ministra Jacinda Ardern disse que a motivação para o ataque não foi estabelecida, mas a polícia não tem nenhuma evidência que sugira que seja terrorismo doméstico.

"Desnecessário dizer que tal ataque é extremamente preocupante, e eu quero reconhecer os primeiros relatos de atos corajosos de espectadores que tomaram medidas para proteger aqueles ao seu redor", disse Ardern. "Nossos pensamentos estão com todos os afetados por este ataque."

O suspeito também foi levado ao hospital com ferimentos leves e deve comparecer ao tribunal nesta terça-feira.

"Este foi um evento rápido e extremamente traumático para cada pessoa naquele supermercado - as vítimas que ficaram feridas, os presentes que tentaram intervir e aqueles que tiveram que fugir para um local seguro", disse o superintendente Paul Basham em um comunicado . "Embora estejamos satisfeitos por termos a pessoa responsável sob nossa custódia, estamos nos estágios iniciais de nossa investigação sobre as circunstâncias."

As pessoas na loja disseram à mídia local que era uma cena caótica, pois as pessoas começaram a gritar e correr em direção às saídas. Eles disseram que alguns compradores corajosos tentaram parar o homem e prendê-lo.

Internacional