PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Turista tenta fazer selfie com crocodilo 'de plástico' e acaba atacado

Homem comemorava aniversário no parque temático, quando foi tirar selfie e acabou atacado nas Filipinas - Reprodução/ Daily Mail
Homem comemorava aniversário no parque temático, quando foi tirar selfie e acabou atacado nas Filipinas Imagem: Reprodução/ Daily Mail

Do UOL, em São Paulo

25/11/2021 18h50Atualizada em 25/11/2021 18h50

Um turista foi atacado por um crocodilo em visita ao parque temático Amaya View, em Cagayan de Oro, nas Filipinas. Ele achou que o animal era um modelo de plástico, exposto em uma piscina, e decidiu tirar uma selfie com o animal. As informações são do tabloide britânico Daily Mail.

Nehemias Chipada, de 68 anos, estava no local com familiares para comemorar o seu aniversário. As fotos que ele tirava foram interrompidas quando o crocodilo, de quase 3,5 metros, avançou sobre o braço direito do senhor, arrastando-o até a água.

Apesar das imagens do incidente ganharem força nas redes sociais ontem, o incidente ocorreu no dia 10 de novembro. Vídeos gravados no local mostram Nehemias gritando por socorro enquanto era atacado. Ele conseguiu escapar e recebeu ajuda médica.

A equipe do parque enrolou lençóis nos braços e mãos do homem para estancar o sangramento. Em seguida, ele foi levado ao Centro Médico do Norte de Mindanao para realizar o tratamento. No hospital, exames mostraram que ele teve ossos fraturados e precisou de pontos em oito feridas no braço e na coxa, além da retirada de um dente, de 7 centímetros, que ficou cravado em seu corpo. Chipada foi submetido a uma série de cirurgias e se recupera do incidente.

A família do idoso culpa o parque por falta de sinalização com placas alertando para ficar longe do crocodilo, que poderia matá-lo. "Não houve avisos nos alertando para não entrarmos no recinto. Porque se houvesse, nunca teríamos ido lá", falou a filha dele, Mercy Joy Chipada ao Daily Mail.

Quem filmou a cena não soube como reagir. "Achei que fosse arrancar o braço dele. Eu queria ajudá-lo, mas estava com medo e não sabia como lidar com um ataque de crocodilo", explicou Rogelio Pamisa Antiga.

O parque temático asiático informou que pagou os custos médicos do cliente, mas negou que foi negligente em alertar aos turistas sobre os perigos dos animais expostos. "[Os familiares] Disseram que pensaram que o crocodilo também era artificial, mas aquela área é realmente restrita. Existem sinalizações e lembretes constantes dos nossos guias", declarou Candy Unabia, diretora de operações do parque.

Internacional