PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Covid: 61 viajantes vindos da África do Sul testam positivo na Holanda

Passageiros aguardam para fazer testes de covid-19 no Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, na Holanda - Redes sociais/via Reuters
Passageiros aguardam para fazer testes de covid-19 no Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, na Holanda Imagem: Redes sociais/via Reuters

Do UOL, em São Paulo*

27/11/2021 08h00Atualizada em 27/11/2021 13h52

As autoridades de saúde da Holanda informaram que 61 pessoas que chegaram a Amsterdã em dois voos vindos da África do Sul ontem (26) foram diagnosticadas com covid-19.

Todos passarão por mais testes hoje (27) para descobrir se alguma das infecções é da recém-descoberta variante do coronavírus ômicron, classificada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como "variante de preocupação".

Os casos foram descobertos entre cerca de 600 passageiros que chegaram ao Aeroporto Schiphol de Amsterdã em dois voos ontem, antes de o governo holandês interromper o tráfego aéreo do sul da África devido a preocupações com a variante.

As pessoas que foram diagnosticadas com a covid-19 estão sendo mantidas em isolamento em um hotel próximo ao aeroporto. Os passageiros que permanecerem na Holanda devem ficar em quarentena em casa por cinco dias.

A nova variante foi detectada no momento em que muitos países europeus estão lutando contra um aumento nos casos de coronavírus.

O governo holandês anunciou ontem o fechamento noturno de bares, restaurantes e da maioria das lojas enquanto tenta conter uma onda recorde de casos de covid-19 que está afetando seu sistema de saúde.

A Bélgica é o único país europeu onde a nova variante foi detectada. A Alemanha anunciou hoje ter um caso suspeito da ômicron. Depois de ter sido descoberta na África do Sul, a linhagem também foi registrada em Hong Kong e Israel.

Qatar Airways bane passageiros da África do Sul

A companhia aérea Qatar Airways anunciou, ontem, que não embarcará em seus voos passageiros vindos do Zimbábue e da África do Sul.

"Com efeito imediato, os passageiros não serão mais aceitos para viagens vindas da África do Sul e do Zimbábue em voos da Qatar Airways. Continuaremos revisando a situação diariamente conforme novas informações da OMS forem disponibilizadas", escreveu a companhia em sua conta no Twitter.

"Os passageiros que viajam para a África do Sul e Zimbábue continuarão sendo aceitos nos voos da Qatar Airways, de acordo com as restrições atuais", acrescentou a empresa.

* Com informações da Agência Reuters e RFI

Internacional