PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

EUA: Pai comprou arma usada por atirador em ataque a escola, diz polícia

Tate Myre, Madisyn Baldwin e Hana St. Juliana morreram no ataque a escola em Michigan. O suspeito do ataque é um estudante de 15 anos - Reprodução/Twitter/Facebook
Tate Myre, Madisyn Baldwin e Hana St. Juliana morreram no ataque a escola em Michigan. O suspeito do ataque é um estudante de 15 anos Imagem: Reprodução/Twitter/Facebook

Do UOL, em São Paulo

01/12/2021 08h01Atualizada em 02/12/2021 08h30

Os três adolescentes mortos durante um ataque a uma escola em Michigan (EUA), ontem, foram identificados pela polícia, que apurou que o pai do atirador comprou a arma para dar ao filho.

As vítimas são Tate Myre, de 16 anos, estudante e jogador de futebol "destacado" da Oxford High School que morreu a caminho do hospital; Hana St. Juliana, de 14, e Madisyn Baldwin, de 17. Esta última, estava muito feliz por ter entrado em várias universidades, segundo relato de amigos.

"Esse tipo de coisa pode acontecer em qualquer lugar e, infelizmente, aconteceu mesmo em uma comunidade doce e tranquila como Oxford", disse o xerife do condado de Oakland, Michael J. Bouchard, em entrevista a jornalistas na noite de ontem.

O suspeito de ser o autor dos disparos em uma Oxford Community School, um estudante de 15 anos, foi detido pela polícia. Pelo menos outras sete pessoas ficaram feridas, entre elas, um professor de 47 anos.

Segundo o jornal New York Post, a polícia apurou que o pai do atirador comprou a arma usada pelo filho no ataque há quatro dias.

Os investigadores acreditam que o atirador disparou pelo menos 12 tiros. Um mandado de busca foi cumprido na casa do adolescente onde as autoridades recuperaram vários itens, incluindo o celular do suspeito.

Ainda não se sabe o que motivou o ataque.

Internacional