PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Situação é de plena normalidade, diz embaixador do Brasil na Ucrânia

Colaboração para o UOL

14/02/2022 18h36

O embaixador do Brasil na Ucrânia, Norton Rapesta, afirmou hoje, em entrevista ao UOL News, que a situação é de "plena normalidade" no país, mesmo com a possibilidade de um ataque russo na quarta-feira (16).

Segundo ele, estima-se que haja hoje na Ucrânia cerca de 500 brasileiros. "A situação aqui é de plena tranquilidade, de plena normalidade. Tenho uma vida normal aqui, os profissionais da embaixada também", falou ele.

Questionado como está a situação na Ucrânia com o aumento da tensão entre os dois países, Rapesta disse que não acredita que haverá uma guerra.

"A Europa já viveu a Segunda Guerra Mundial e eles sabem muito bem quanto custa e quando dói uma guerra", observou.

"Ninguém quer guerra, guerra não haverá porque vai prevalecer a diplomacia. Pelo menos é essa a confiança que nós diplomatas temos."

A especialista em tecnologia Fernanda Krupin também afirmou ao UOL News que a vida está "normal" na região. Nascida em São Paulo, ela vive em Kiev, capital da Ucrânia.

"O clima dentro da capital é tranquilo. As pessoas continuam trabalhando, as crianças estão indo para escola normalmente", relatou.

Fernanda falou ainda que a situação gera, sim, apreensão, mas afirmou que procura "ser racional". "Procuro me informar e tentar seguir a vida com plano em ação em mente", contou.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou mais cedo de que foi informado que a Rússia vai atacar o país daqui a dois dias. Pensando nisso, ele estabeleceu para a mesma data o Dia da Unidade Ucraniana.

Internacional