PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
5 meses

Israel se oferece como mediador para negociações entre Rússia e Ucrânia

Uma das principais avenidas de Tel Aviv, a Rothschild Boulevard foi tomada ontem por manifestantes pró-Ucrânia - Ronen Zvulun/AFP
Uma das principais avenidas de Tel Aviv, a Rothschild Boulevard foi tomada ontem por manifestantes pró-Ucrânia Imagem: Ronen Zvulun/AFP

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

27/02/2022 11h22Atualizada em 27/02/2022 11h22

O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, colocou o país à disposição para mediar negociações em busca de paz entre a Rússia e a Ucrânia, ao conversar hoje com o presidente russo, Vladimir Putin, informou o Kremlin.

Segundo o governo em Moscou, a conversa foi uma iniciativa dos israelenses. De acordo com a declaração russa, Putin falou para Bennett que a Rússia havia uma delegação na cidade de Gomel, em Belarus, pronta para negociar com as autoridades da Ucrânia, mas o lado ucraniano "não teria aproveitado a oportunidade, mostrando incoerência".

Essa narrativa de eventual recusa em dialogar tem sido rebatida de forma veemente pela Ucrânia. O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, afirmava se manter aberto a conversas em locais que não demonstrassem agressões ao seu país.

Mais tarde, foi anunciado que o governo da Ucrânia concordou em ir até a fronteira do país com Belarus para negociar um possível cessar-fogo com a Rússia. O anúncio, confirmado pela AFP, acontece poucas horas depois de Zelensky criticar a escolha por Minsk, capital bielorrussa, para sediar o encontro entre as partes. Não há informações sobre o envolvimento de Israel nesse encontro.

"A delegação ucraniana se reunirá com a [delegação] russa, sem estabelecer condições prévias. na fronteira ucraniana-bielorrussa, na região do rio Pripyat", anunciou a Presidência da Ucrânia em uma rede social.

Ainda segundo o governo ucraniano, o ditador de Belarus, Aleksander Lukashenko, "assumiu a responsabilidade de garantir que todos os aviões, helicópteros e mísseis que estão em território bielorrusso permanecerão no solo durante a viagem, a reunião e o retorno da delegação ucraniana."

A guerra entre Rússia e Ucrânia chegou hoje ao quarto dia, com russos avançando sobre Kharkiv, a segunda maior cidade ucraniana. Belarus teve um papel importante no início da guerra, que tem o apoio do governo bielorrusso.

Por volta das 9h20 (horário local, 4h20 em Brasília), a Ucrânia anunciou ter interceptado um míssil lançado de Belarus em direção Kiev.

A Secretária de Estado do Reino Unido, Liz Truss, disse hoje que não confia nos "esforços" da Rússia pela negociação com a Ucrânia.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL