PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


OMS alerta que hospitais da Ucrânia podem ficar sem oxigênio em 24h

Entidade quer rota de transporte segura por meio da Polônia - Heudes Régis/SEI
Entidade quer rota de transporte segura por meio da Polônia Imagem: Heudes Régis/SEI

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

27/02/2022 14h02

A OMS (Organização Mundial de Saúde) alertou neste domingo (27) que a rede hospitalar da Ucrânia pode entrar em crise porque está com níveis de oxigênio "perigosamente baixos". Com 1.700 pacientes de covid-19, as reservas de gases na maioria dos hospitais devem acabar nas próximas 24 horas, estimou a entidade em um comunicado. Isso coloca "milhares" de pessoas em risco.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, e o diretor regional europeu da entidade, Hans Henrri Kluge, apelaram aos líderes mundiais para que garantam o fornecimento de suprimentos ao país em guerra.

O conflito entre Rússia e Ucrânia deixou pelo menos 64 civis mortos, 240 feridos e 368 mil refugiados, nos cálculos da ONU (Organização das Nações Unidas).

Tedros e Kluge pedem que navios carregados com medicamentos e suprimentos possam chegar à Ucrânia em segurança por meio da Polônia. "É imperativo garantir que suprimentos médicos para salvar vidas -- inclusive oxigênio -- alcancem os necessitados", afirma a OMS no comunicado.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Batalha contra Covid em meio à guerra

A falta de oxigênio atinge pacientes com diversas doenças, inclusive os que sofrem de covid-19. A OMS disse que existem 1.700 pacientes com coronavirus em hospitais da Ucrânia. Há, ainda, outros casos de pacientes críticos em condições crônicas, complicações de parto, ferimentos e traumas.

A entidade disse que o nível dos gases usados nos tratamentos se aproxima de um ponto muito perigoso no país. "Caminhões estão impossibilitados de transportar oxigênio das fábricas para os hospitais pelo país, incluindo a capital, Kiev", informou a OMS.

A maioria dos hospitais podem exaurir suas reservas de oxigênio nas próximas 24 horas
Organização Mundial da Saúde

Algumas unidades de saúde já estão sem gases para tratamento de paciente. "Isso põe milhares de vidas em risco", afirmou a entidade. A OMS disse que trabalha para garantir suprimentos de oxigênio e de outros insumos, equipamentos e medicamentos para atender as vítimas do conflito armado entre Rússia e Ucrânia.

"Para isso, a OMS procura soluções para aumentar os suprimentos que podem incluir a importação de oxigênio, líquido e em cilindros de redes regionais", afirmou a entidade em comunicado.

Profissionais de saúde precisam de segurança

A OMS disse que, durante a crise na Ucrânia, os sistemas de saúde devem permanecer como um "pilar prioritário da responsabilidade humanitária". Para isso, é preciso que as instalações permaneçam seguras e acessíveis a todos que dependam de serviços médicos essenciais. A organização disse que profissionais de saúde devem ficar protegidos para continuar a salvar vidas.

Além disso, insumos para a produção do oxigênio medicinal também estão em falta. Outro problema são as quedas constantes de energia elétrica. As ambulâncias que transportam pacientes estão em perigo de serem pegas pelo fogo cruzado, alertou a OMS.