PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Fernández sobre Bolsonaro: 'Brasil e Argentina não podem ter má relação'

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, participou de Cúpula das Américas e teve reunião antes com o presidente Jair Bolsonaro. - Reprodução
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, participou de Cúpula das Américas e teve reunião antes com o presidente Jair Bolsonaro. Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

10/06/2022 20h07

O presidente argentino Alberto Fernández minimizou hoje as diferenças que tem com o presidente Jair Bolsonaro (PL) e disse que "Brasil e Argentina não podem ter má relação". A declaração foi dada em entrevista ao jornal O Globo durante a Cúpula das Américas, nos Estados Unidos. O mandatário do país vizinho teve uma breve e improvisada reunião com o brasileiro antes do evento.

"Brasil e a Argentina não podem ter uma má relação. Temos uma responsabilidade como governo, dos dois lados, e temos de honrar essa responsabilidade, acima das diferenças, que são óbvias e conhecidas. (...) Nos encontramos numa prévia da reunião (presidencial), ele se aproximou, me cumprimentou corretamente, tivemos um diálogo amável", declarou o presidente argentino ao jornal.

Relação conturbada entre os presidentes

Fernández e Bolsonaro já trocaram farpas em diversas ocasiões. A começar pelas eleições argentinas, quando o presidente do Brasil declarou publicamente apoio ao antagonista Maurício Macri e chegou a insinuar que a Argentina estaria se tornando a Venezuela após eleger um presidente de esquerda. Bolsonaro também não compareceu à posse do mandatário.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do presidente brasileiro, chegou a compartilhar nas redes sociais uma montagem em que tirava sarro do filho do presidente da Argentina por ele performar como drag queen.

Além disso, Alberto Fernández visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enquanto o petista estava preso na Polícia Federal, em Curitiba. Os dois são amigos, o que sempre distanciou Bolsonaro dele.

A troca de farpas dos dois ganhou novos capítulos quando o presidente do Brasil criticou o semestre gerido por Fernández na 58ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados e cobrou acordos por maior flexibilização econômica no bloco. Em uma cerimônia, a Argentina transferiu a Presidência semestral do Mercosul ao Brasil, em um movimento que significa passar de uma agenda mais protecionista para uma de maior abertura comercial.

Outro episódio polêmico aconteceu quando em uma visita oficial do primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, Fernández estava falando dos laços que ligam a Argentina à Europa, quando deu declarações consideradas racistas: "Os mexicanos vieram dos índios, os brasileiros vieram da selva, mas nós, os argentinos, viemos dos barcos. E eram barcos que vinham da Europa".

A declaração fez o presidente Jair Bolsonaro comparar o presidente da Argentina com o líder venezuelano Nicolás Maduro, dizendo que os dois "não teriam vacina".

Internacional