Conteúdo publicado há 2 meses

Israel confirma a morte de cinco reféns do Hamas na Faixa de Gaza

Israel informou que cinco reféns do Hamas retidos na Faixa de Gaza foram mortos. Todos haviam sido sequestrados em 7 de outubro.

O que aconteceu

Os reféns mortos foram identificados como Eliyahu Margalit, Mia Goren, Ronen Engel, Ofir Tzarfati e Aryeh Zalmanovich. Não há, porém, detalhes sobre as datas ou circunstâncias das mortes.

"Isto ocorreu depois de um comitê de especialistas do Ministério da Saúde, juntamente com o Centro Nacional de Medicina Forense, o Rabinato Chefe de Israel e o Ministério dos Serviços Religiosos, terem determinado as mortes com base em descobertas recolhidas e informações estabelecidas", explicou Daniel Hagari, porta-voz do exército.

As famílias das vítimas foram informadas sobre as mortes, segundo Hagari.

"Numa operação conjunta da IDA, utilizando a sua inteligência precisa, e das IDF, trouxemos o corpo do refém Ofir Tzarfati Z"L para sepultamento em Israel. Abraçamos as famílias nestes momentos difíceis e continuamos a acompanhá-las", informou o porta-voz.

Um comitê de especialistas (...) determinou sua morte após uma investigação e baseando-se em informação dos serviços de Inteligência", disse, durante coletiva de imprensa.

Além destes cinco reféns identificados por Israel, o Hamas diz que um bebê de 10 meses, sua mãe e irmão, de 4 anos, também morreram. O grupo extremista alega que os três foram mortos em "um bombardeio de Israel na Faixa de Gaza".

O Hamas também alega ter se oferecido para resgatar e entregar os três corpos, mas o governo de Israel teria negado recebê-los. O governo israelense, no entanto, não comentou essa afirmação e diz que investiga as mortes.

Continua após a publicidade

O governo de Israel estima que mais de 130 israelenses ainda sejam reféns do Hamas em Gaza.

"O Hamas ainda mantém cruelmente 136 reféns, incluindo 17 mulheres e crianças que foram impiedosamente raptadas das suas casas. Continuaremos fazendo de tudo para trazer de volta os reféns em todos os sentidos", disse Daniel Hagari, porta-voz do exército.

Trégua chega ao fim

No dia em que a guerra chega ao 56º dia, Israel volta as operações de combate contra o Hamas em Gaza depois de acusar o grupo palestino extremista de disparar foguetes, de não seguir o acordo para libertar todas as mulheres mantidas como reféns e violar a trégua temporária.

Hamas e Israel iniciaram trégua na sexta-feira (24) para a troca de reféns - sendo três prisioneiros palestinos para cada refém israelense liberado. Mais de 90 pessoas mantidas reféns em Gaza ganharam a liberdade nos sete primeiros dias de cessar-fogo, bem como cerca de 200 prisioneiros palestinos foram liberados por Israel.

Brasileiro é um dos reféns em Gaza

O brasileiro Michel Nisembaum, 59, é um dos reféns mantidos pelo grupo extremista Hamas na Faixa de Gaza. O embaixador do Brasil em Israel recebeu a irmã dele para uma reunião.

Continua após a publicidade
Michel Nisembaum mora em Israel há 35 anos
Michel Nisembaum mora em Israel há 35 anos Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Michel Nisembaum fez o último contato com a família em 7 de outubro, dia no qual extremistas do Hamas atacaram israelenses. O brasileiro estava "a caminho de buscar sua neta, que dormira naquela noite com o pai", segundo a embaixada.

"O embaixador Frederico Meyer garantiu a irmã da vítima que o Brasil está fazendo tudo ao seu alcance para ajudar na libertação do brasileiro e dos demais reféns", diz o comunicado da Embaixada do Brasil em Tel Aviv.

Natural de Niterói (RJ), Michel está em Israel há 35 anos. A embaixada do Brasil só foi informada do desaparecimento em 22 de outubro.

O presidente Lula falou sobre a expectativa de que o brasileiro seja libertado e agradeceu ao apoio do Qatar - principal mediador nas negociações entre Israel e o Hamas. Lula falou a jornalistas em Doha.

A segunda coisa [que tratei com o emir qatari] é o agradecimento ao Qatar, porque o Qatar teve um papel importante para a liberação dos brasileiros que estavam na Faixa de Gaza. Ainda tem mais brasileiros lá, na liberação de um refém, que ainda pode ser liberado por esses dias
Presidente Lula

Continua após a publicidade

Em atualização, volte em instantes

Com AFP

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora