Conteúdo publicado há 2 meses

Embaixador do Brasil em Israel encontra irmã de brasileiro refém do Hamas

O brasileiro Michel Nisembaum, 59, é um dos reféns mantidos pelo grupo extremista Hamas na Faixa de Gaza. O embaixador do Brasil em Israel recebeu a irmã dele para uma reunião.

O que aconteceu

Michel Nisembaum fez o último contato com a família em 7 de outubro, dia no qual extremistas do Hamas atacaram israelenses. O brasileiro estava "a caminho de buscar sua neta, que dormira naquela noite com o pai", segundo a embaixada.

"O embaixador Frederico Meyer garantiu a irmã da vítima que o Brasil está fazendo tudo ao seu alcance para ajudar na libertação do brasileiro e dos demais reféns", diz o comunicado da Embaixada do Brasil em Tel Aviv.

???? ????? ????? ??????? : ??? ???? ??????? ??????? ?????? ?????? ????? ???????? ????? ????? ???? ????? ?? ?????

Natural de Niterói (RJ), Michel está em Israel há 35 anos. A embaixada do Brasil só foi informada do desaparecimento em 22 de outubro.

O presidente Lula falou sobre a expectativa de que o brasileiro seja libertado e agradeceu ao apoio do Qatar - principal mediador nas negociações entre Israel e o Hamas. Lula falou a jornalistas em Doha.

A segunda coisa [que tratei com o emir qatari] é o agradecimento ao Qatar, porque o Qatar teve um papel importante para a liberação dos brasileiros que estavam na Faixa de Gaza. Ainda tem mais brasileiros lá, na liberação de um refém, que ainda pode ser liberado por esses dias
Presidente Lula

Continua após a publicidade

Telefone foi atendido por integrante do Hamas, diz família

O telefone do brasileiro teria sido atendido por um integrante do grupo extremista Hamas. A informação é da família de Michel.

Mary Choat, irmã de Michel, acredita que integrantes do Hamas atenderam o telefone do brasileiro. "A filha dele falou com ele no sábado, às 6h57. Depois, ela telefonou de volta cerca de sete, seis minutos. Ele já não atendeu. Ela continuou chamando. No momento que alguém atendeu, era mais ou menos 7h23, gritaram no telefone 'Hamas, Hamas' e desligaram. Desde então, o telefone está desligado", disse, em entrevista à Band.

Brasileiros morreram em conflito

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil confirmou a morte de três brasileiros, e da filha de uma brasileira, todos residentes em Israel.

As vítimas são a carioca Karla Stelzer Mendes, de 42 anos, e Ranani Glazer e Bruna Valeanu, ambos de 24 anos. Os três estavam em uma festa invadida pelo grupo extremista Hamas.

Continua após a publicidade

Ranani foi a primeira vítima brasileira a ser confirmada pelo Itamaraty. Ele estava com a namorada, Rafaela Treistman, e um amigo em uma rave, conseguiu se abrigar em um bunker e chegou a gravar um vídeo relatando a situação. No entanto, após o abrigo ser invadido, o rapaz desapareceu.

Bruna teve a morte confirmada pela família nas redes sociais. A jovem estava na mesma festa, e um vídeo divulgado primeiro pelo Fantástico mostra a vítima em um bunker com várias outras pessoas antes de ser morta. Ela aparece sentada no chão e encolhida perto de uma janela.

Karla foi a terceira vítima confirmada pelo Ministério das Relações Exteriores. Ela chegou a enviar um áudio a uma amiga enquanto fugia do local da rave, para a qual foi com o namorado e amigos israelenses.

Além dos brasileiros, ao menos 260 pessoas foram mortas na rave, que era realizada próxima à Faixa de Gaza. Mais de 3 mil pessoas participavam do evento, invadido pelo Hamas.

a israelense Celeste Fishbein, de 18 anos, era refém do grupo extremista Hamas e foi morta em Israel a caminho da Faixa de Gaza, informou seu tio, Mario Fishbein.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora