Pai com câncer revela que assaltou banco e virou fugitivo 'por diversão'

Imagine conviver com um pai e só no final da vida dele descobrir que, na verdade, se tratava de um fugitivo da polícia? Essa é a história de Ashley Randele, que, com o pai à beira da morte por causa de um câncer de pulmão, ouviu revelações surpreendentes sobre o passado.

Em março de 2021, Thomas Randele, de 70 anos, realizou a primeira sessão de quimioterapia para tratar do câncer no pulmão. Durante a recuperação, em uma casa no subúrbio de Boston, ele contou para a filha o segredo que tinha guardado por 50 anos.

Quando tinha 20 anos, ele roubou o Society National Bank, em Cleveland, Ohio. Para a ação, ele começou a trabalhar como caixa no banco. Em uma sexta-feira, às vésperas do aniversário, entrou em um dos cofres do banco, colocou US$ 215 mil em um saco e fugiu. O dinheiro que roubou do banco equivale, atualmente, a R$ 8,3 milhões.

Depois da fuga, ele mudou de nome. Deixou de ser Ted Conrad e passou a ser Thomas Randele. Em Boston se tornou um vendedor de carros e jogador de golfe.

Ao contar a história, a filha foi buscar mais informações a respeito do roubo.

"Estava sozinha no quarto da minha infância e pesquisei 'Ted Conrad desaparecido' no Google e a primeira coisa que apareceu disse algo como 'Caixa do cofre rouba banco'. Eu estava tipo, 'Oh meu Deus, este é meu pai'", disse Ashley à CNN dos EUA.

Após descobrir o passado do pai, Ashley contou a história para a mãe dela, que também desconhecia o roubo. As duas prometeram que não contariam o caso para a polícia, em virtude do estado de saúde debilitado do pai, que morreu dois meses depois de revelar a história.

História sombria do pai virou podcast

Depois de descobrir o passado do pai, Ashley resolveu investigar mais a fundo o roubo e conversou com amigos e ex-namoradas de Ted Conrad. Todos contaram que o então adolescente era obcecado com o filme "The Thomas Crown Affair", de Steve McQueen. O longa, de 1968, conta a história de um empresário que rouba um banco de Boston apenas para se divertir.

Continua após a publicidade

Com essa revelação, Ashley deduziu que o pai mudou o nome para Thomas e foi viver em Boston por causa do filme. Durante anos Ted foi procurado pela polícia, mas diversas pistas falsas - que não se sabe se foram plantadas por Ted - fizeram que ele nunca fosse encontrado.

Após a morte, a polícia foi até a casa de Ashley. Ela contou na entrevista à CNN que cruzaram os dados do pai, que foram divulgados em um obituário, e desconfiaram que Thomas Randele era Ted Conrad. A filha admitiu que a suspeição dos policiais era verdadeira. Por terem descoberto a história às vésperas da morte do assaltante, Ashley e a mãe não foram punidas pela polícia.

Após todo esse caso, Ashley resolveu contar a história do pai em um podcast chamado "Smoke Screen: My Fugitive Dad".

"Eu queria que o mundo soubesse quem era meu pai. E também queria saber mais sobre Ted Conrad, o ladrão de banco, e Tom Randele, meu pai. Eu queria saber: onde eles se sobrepõem?", finalizou Ashley na entrevista à CNN.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes