Conteúdo publicado há 1 mês

Passageiros de avião que perdeu porta durante voo pedem US$ 1 bi na Justiça

Três passageiros que estavam em um voo da Alaska Airlines que perdeu uma das portas durante voo ingressaram com ação judicial contra a companhia aérea e a Boeing, empresa responsável pela fabricação da aeronave.

O que aconteceu

Kyle Rinker, Amanda Strickland e Kevin Kwo pedem na Justiça indenização compensatória e por danos no valor de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 4,9 bilhões na atual cotação). A ação foi protocolada no condado de Multnomah, no estado do Oregon, nos Estados Unidos. As informações são da CBS News.

Passageiros alegam "graves danos mentais, emocionais e psicológicos, além de traumas físicos" decorrentes do acidente. Ainda, eles querem a responsabilização da Boeing pela "falha assustadora e potencialmente fatal" — a empresa assumiu responsabilidade pela perda de parte da fuselagem da aeronave.

"Isso tem a ver principalmente com os problemas sistêmicos da Boeing, que estão colocando em risco a vida de todo o público que viaja em aeronaves Boeing", disse o advogado dos três passageiros, Jonathan Johnson.

Relembre o caso

O caso aconteceu na noite de 5 de janeiro, minutos após a decolagem. O voo 1282 saiu do Aeroporto Internacional de Portland com destino a Ontário, na Califórnia.

O voo ficou cerca de 20 minutos no ar após a explosão, o que causou a despressurização da cabine. Máscaras de oxigênio foram liberadas e o avião retornou ao aeroporto em segurança após a tripulação relatar o incidente.

Ninguém ficou ferido. O voo tinha 174 passageiros e seis tripulantes, informou a Alaska Airlines.

A Boeing reconheceu a responsabilidade em um comunicado divulgado após o relatório do NTSB (Conselho Nacional de Segurança nos Transportes, que apura acidentes). A companhia disse que está trabalhando para garantir que episódios como este não ocorram novamente. "Quaisquer que sejam as conclusões finais alcançadas, a Boeing é responsável pelo que aconteceu", disse o CEO da Boeing, Dave Calhoun, em comunicado publicado pela CNN.

Continua após a publicidade

A suspeita é de que o avião pode ter saído da fábrica sem os parafusos. O NTSB esclareceu que a falta de desgaste ou deformação em alguns furos "indica que faltavam quatro parafusos destinados a evitar que a porta de encaixe se movesse para cima antes de se deslocar para fora do batente".

Deixe seu comentário

Só para assinantes