Conteúdo publicado há 17 dias

Turbulência fez voo da Singapore cair o equivalente a prédio de 18 andares

Um investigação preliminar indica que o avião da Singapore Airlines atingido por uma forte turbulência na semana passada despencou 54 metros — o equivalente a um prédio de 18 andares — no ar em menos de cinco segundos. Na ocasião, um passageiro morreu e vários ficaram feridos. As informações estão em um relatório divulgado nesta quarta-feira (29) pelo Ministério dos Transportes de Singapura.

Linha do tempo

Voo SQ321 partiu de Londres, na Inglaterra, em 20 de maio. O avião seguia viagem normalmente até o momento em que encontrou a turbulência. A situação começou a mudar às 7:49:21 (UTC, três horas à frente de Brasília) de 21 de maio, quando a aeronave sobrevoava o sul de Mianmar a uma altura de 37 mil pés (11,2 mil metros).

Força da gravidade oscilou por cerca de 19 segundos. A força gravitacional foi de +0,44G para +1,57G neste intervalo de tempo, o que teria causado uma "leve vibração" no avião, segundo o Ministério dos Transportes de Singapura. Ao mesmo tempo, houve um aumento inesperado e "não comandado" na altitude da aeronave, que atingiu 37.362 pés (11,4 mil metros).

Piloto automático inclinou a aeronave para baixo. O objetivo da manobra era fazer com que o avião voltasse à altitude de 37 mil pés. Neste momento, os pilotos observaram um aumento "não comandado" na velocidade relativa da aeronave sobre o ar, e acionaram os freios aerodinâmicos para tentar controlá-la. O alerta para que os passageiros afivelassem os cintos foi ligado às 07:49:32.

Turbulência se agravou oito segundos depois. Às 07:49:40, uma nova mudança na força gravitacional fez a aceleração vertical despencar de +1,35G para -1,5G em 0,6 segundo. Essa variação brusca foi o que provavelmente levou os passageiros que não usavam cintos de segurança a ficarem "suspensos no ar", ainda segundo o relatório.

Passageiros que estavam suspensos no ar despencaram. Houve uma nova mudança rápida na aceleração vertical, que passou de -1,5G para +1,5G em quatro segundos. Neste momento, os passageiros que estavam suspensos no ar caíram no chão da aeronave.

Em 4,6 segundos, o avião caiu 54 metros no ar. Essa altura é equivalente a um prédio de 18 andares. Ao todo, foram quase cinco segundos — das 07:49:40 às 07:49:45, aproximadamente — com variações bruscas na aceleração vertical que causaram a forte turbulência sobre a aeronave da Singapore e, consequentemente, os ferimentos nos passageiros e membros da tripulação.

Pilotos fizeram tentativas de controlar a aeronave manualmente. O relatório preliminar indicou que, em meio às rápidas mudanças na força da gravidade, os pilotos desativaram o piloto automático e tentaram estabilizar o avião por 21 segundos. O piloto automático foi religado às 07:50:05, e a aeronave voltou à altitude de 37 mil pés às 07:50:23. As investigações continuam.

Após os pilotos serem informados pela tripulação de que havia passageiros feridos, foi tomada a decisão de desviar o voo para o Aeroporto de Suvarnabhumi, em Bangkok, na Tailândia. No caminho para Bangkok, os pilotos pediram às equipes médicas que encontrassem a aeronave na chegada. (...) Os dados mostraram que o avião não enfrentou mais turbulências severas durante esse desvio e pousou no Aeroporto de Suvarnabhumi às 08:45:12.
Trecho de relatório do Ministério dos Transportes de Singapura

Continua após a publicidade