Topo

Animais em zoo de Piracicaba tomam picolé contra o calor

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em Piracicaba

27/02/2014 17h59

Para se refrescar do calor, os animais do zoológico de Piracicaba (SP) começaram a receber uma forma de dieta diferenciada: os alimentos tradicionais foram servidos em forma de picolés. A novidade, além de combater o calor, ajuda a estimulá-los por quebrar a rotina e incentivar a atividade física. A intenção é repetir a forma de alimentação regularmente, embora sem um período definido.

Outro zoológico da região a implementar a novidade foi o de Limeira, que oferece os picolés duas vezes por semana. São produzidas na cozinha do zoo 80 unidades por semana. "A nossa intenção é proporcionar uma alimentação refrescante e que, ao mesmo tempo, sirva como distração aos animais", disse a bióloga Ana Cláudia de Abreu Sorg.

Para a bióloga Paula Matias, que responde pela nutrição dos animais em Piracicaba, a ação ajuda no desenvolvimento dos exemplares em cativeiro e contribui para que os exemplares façam atividade física.

“Amarramos os picolés em barbantes e colocamos em locais que, para serem acessados, exigem esforço físico dos animais. Eles são estimulados. O fato de estarem em cativeiro pode entediar o animal e, com a mudança na alimentação, buscamos quebrar um pouco essa situação”, disse ela. “Isso, claro, além de refrescar e fazer com que eles tenham atividade física. É como uma simulação de caça ou conquista do alimento”, disse.

Dos 400 animais presentes no zoológico, pelo menos 300 foram selecionados para receber os picolés. Foram 20 picolés destinados a animais carnívoros, feitos com 30 quilos de carne, misturada com sangue, água e carne moída, e 40 picolés com frutas. O zoológico não informou a quantidade de ingredientes usados para a confecção desses picolés.

Especificações

Segundo Paula, cada animal ganhou o seu tipo de picolé, que foi preparado de acordo com as necessidades de cada espécie. No caso dos leões e onça, por exemplo, a iguaria foi preparada com sangue e pedaços de carne. Já os primatas, como macacos, receberam sorvete de frutas variadas e herbívoros, a iguaria com hortifrutigranjeiros. “Buscamos atender a necessidade de cada uma das espécies, reproduzindo, nos picolés, a dieta comum”, comentou.

Segundo ela, os bichos gostaram da novidade. “Eles brincaram bastante, se divertiram na alimentação. É uma ação que pretendemos repetir outras vezes no calor”, disse.

Mais Meio Ambiente