Topo

Em evento de concessionárias, Salles chama taxa do Ibama de "irracional"

Edilson Rodrigues/Agência Senado
Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

06/08/2019 13h28

Diante de uma plateia formada por centenas de representantes de concessionárias de veículos, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (Novo), sinalizou hoje em São Paulo que pode rever a cobrança da TCFA (Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental), um tributo do Ibama, sobre o setor.

Segundo o ministro, a taxa é uma "cobrança irracional" criada por uma "burocracia que não se importa com quem trabalha no nosso país".

A TCFA passou a ser cobrada de concessionárias de veículos em 2018, depois que o Ibama mudou o enquadramento da atividade de troca de óleo lubrificante realizada pelas lojas. O valor varia de acordo com o porte do negócio e com seu potencial poluidor.

Segundo Salles, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) o autorizou a analisar a regularidade da cobrança. "Se estiver correto, vamos atender o pleito", afirmou.

Salles falou sobre o assunto em discurso na abertura do congresso da Fenabrave, entidade do setor de concessionárias de veículos. Bolsonaro também participou do evento.

O presidente afirmou que "dados imprecisos" sobre desmatamento estão sendo divulgados e ironizou a questão.

"Um número absurdo como aquele de que eu desmatei 88% da Amazônia. Eu sou o 'capitão motosserra'", disse o presidente, em tom de brincadeira. "[Se] divulga isso, é péssimo para a gente."

Em sua fala, o presidente distorceu o dado do Inpe, que apontou que o desmantelamento na Amazônia avançou 88% em junho na comparação com o mesmo mês em 2018.

Meio Ambiente