Topo

Bolsonaro diz que pode aceitar dinheiro do G7 se Macron pedir desculpas

Stella Borges

Do UOL, em São Paulo

27/08/2019 10h44

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) recuou hoje e disse que pode discutir o recebimento de US$ 20 milhões (cerca de R$ 83 milhões) oferecidos pelo G7 para a Amazônia se o presidente francês, Emmanuel Macron, lhe pedir desculpas. Na noite de ontem, o Palácio do Planalto havia informado que o dinheiro seria rejeitado.

Em entrevista na portaria do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que só aceitará negociar se Macron pedir desculpas a ele, por tê-lo chamado de "mentiroso", e retirar declaração sobre a internacionalização da Amazônia.

"Eu falei isso (não aceitar o dinheiro)?", questionou os jornalistas. "Primeiramente, o senhor Macron deve retirar os insultos que fez à minha pessoa. Primeiro, me chamou de mentiroso. Depois, as informações que tive, é que a nossa soberania está em aberto na Amazônia", declarou.

"Então, realmente para conversar ou aceitar qualquer coisa da França, que seja das melhores intenções, ele (Macron) vai ter que retirar essas palavras. Primeiro, ele retira, depois ele oferece e daí eu respondo", acrescentou.

Bolsonaro e o presidente francês têm trocado críticas na questão da preservação da Amazônia. Macron disse ontem esperar que "os brasileiros tenham logo um presidente que se comporte à altura". A fala foi uma resposta a um comentário de Bolsonaro sobre a primeira-dama francesa, Brigitte Macron.

Bolsonaro negou ter ofendido a esposa do francês e encerrou a entrevista diante da insistência dos jornalistas sobre o tema.

"Não queiram levar para esse lado, questão pessoal e familiar eu não me meto. Eu falei para o cara não entrar nessa área. Se continuar pergunta nesse padrão, vai acabar a entrevista", ameaçou.

No final de semana, um seguidor do presidente no Facebook publicou uma imagem, na qual se vê uma foto de Bolsonaro e a primeira-dama Michelle abaixo de um retrato de Macron e Brigitte acompanhada do seguinte comentário: "Entende agora pq Macron persegue Bolsonaro?". O perfil do presidente respondeu: "não humilha cara. Kkkkkkk".

Meio Ambiente