PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Pantanal: 'São Pedro é que vai apagar o fogo', diz secretário de MT

Do UOL, em São Paulo

25/09/2020 17h29

Coronel da reserva do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e atual secretário do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, Paulo André da Silva Barroso afirmou que o fogo que assola a região do Pantanal já não pode mais ser controlado.

Em entrevista concedida ao jornal O Globo, Barroso afirmou que apenas a temporada de chuvas, prevista para outubro, pode extinguir as queimadas. Ele explicou que só enxerga, na chuva, a possibilidade de por fim ao fogo porque os incêndios ocorrem em três dimensões na região: na superfície do solo, na copa das árvores e também na parte subterrânea — esta última, a mais difícil de conter, necessitando de água e umidade que só são provenientes de dias e dias de chuvas.

O Pantanal tem um solo alagável. O subsolo é formado por raízes de plantas e árvores que ficam alagadas durante boa parte do ano e, em outra parte, secam. Como este ano secou muito, o espaço que a água ocupava foi ocupado pelo oxigênio. Ficou tudo muito seco. O fogo que queima lá em cima, se propaga para baixo, porque a raiz também está seca. Não tem água e entra oxigênio. Então o fogo propaga devagarzinho por debaixo da terra e ressurge lá na frente, quando você menos espera
Paulo André da Silva Barroso, secretário do Comitê Estadual de Gestão do Fogo

Barroso afirmou ao jornal que outra dificuldade enfrentada para conter o fogo é o acesso aos focos de incêndio, que se iniciam em áreas silvestres e de difícil acesso.

Nessa condição atual é praticamente impossível controlar e extinguir. O que vai apagar o fogo aqui é a chuva. E não é qualquer chuva. É chuva forte, de quatro a dez dias. Esse período de chuvas geralmente só começa no final do mês de outubro, começo de novembro. Então é São Pedro que vai apagar esse fogo. O índice pluviométrico do Mato Grosso está abaixo da média dos últimos 30 anos. Então, todo o estado está passando por um período significativo de seca em razão da baixa pluviosidade, ou seja, pouca chuva.
Paulo André da Silva Barroso, secretário do Comitê Estadual de Gestão do Fogo

O secretário condicionou a atual situação no Pantanal ao desmatamento na Amazônia.

Isso tudo, aí sim, pode ser -- veja bem, pode ser -- decorrente do desmatamento da Amazônia. Se você desmata a Amazônia não tem uma consistência significativa daqueles rios aéreos, que são formados pela evapotranspiração das árvores. É um cenário que a gente ainda tem que entender. E é isso que a gente está vivendo aqui
Paulo André da Silva Barroso, secretário do Comitê Estadual de Gestão do Fogo

Barroso também declarou ser a maior seca dos últimos 45 anos no estado do Mato Grosso e que a região do Pantanal não sofria grandes incêndios há 14 anos.

Meio Ambiente