PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Conteúdo publicado há
2 meses

Pantanal tem primeira grande queimada do ano, e avião é acionado no combate

Aeronave Air Tractor foi contratada pela secretaria de Defesa e Proteção Civil para ajudar no combate às chamas - Marcos Vergueiro/Secom-MT
Aeronave Air Tractor foi contratada pela secretaria de Defesa e Proteção Civil para ajudar no combate às chamas Imagem: Marcos Vergueiro/Secom-MT

Do UOL, em São Paulo

10/08/2021 14h03Atualizada em 10/08/2021 16h10

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso (CBMMT) continuam atuando para combater o primeiro incêndio de grande proporção do ano dentro de uma propriedade particular no Pantanal mato-grossense, em Poconé (104 km de Cuiabá).

Ontem a força-tarefa ganhou um reforço: uma aeronave Air Tractor que já entrou em ação lançando 3.100 litros d'água nos locais com maior incidência de fogo. Além disso, pilotos do BEA (Batalhão de Emergências Ambientais) também vão fortalecer os trabalhos de combate com o uso de mais um avião.

O incêndio começou no domingo (8), quando um trator que estava sendo utilizado por um fazendeiro durante a produção de faixas de aceiros no campo pegou fogo e atingiu outras áreas fora da fazenda.

Um ponto de apoio foi montado dentro de uma fazenda, no KM 54 da Transpantaneira, que possui uma pista de pouso no campo. Com o uso de um caminhão-pipa, os militares captam 16 mil litros d'água do Rio Pixaim e transportam para encher o avião. O processo de trabalho é rápido e em cerca de 20 minutos o compartimento da aeronave fica abastecido e pronto para utilização.

"Hoje, estamos com nossos militares e diversas outras equipes; brigadistas, voluntários e os proprietários rurais desta região, dispostos a contribuir para conter o fogo. Estamos empenhados, dando o nosso máximo para que tragédias iguais aquelas do ano passado não voltem a acontecer", declarou o comandante da Companhia de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do BEA, 1° tenente Isaac Wihby.

Em outros pontos, os bombeiros estão com tratores construindo vários quilômetros de faixas de aceiros com cerca de 5 metros de largura para bloquear e impedir o avanço do fogo para outras áreas. Mesmo com todo esse mecanismo, o processo de ação natural do clima, a baixa umidade do ar e os fortes ventos na região, contribuem para o avanço do fogo nas demais áreas de vegetação seca, em virtude da estiagem.

Este é o primeiro grande incêndio do Pantanal neste ano. Um balanço divulgado pelo Corpo de Bombeiro mostrou que de 1 de janeiro até 5 de agosto de 2020, foram 1.023 focos de incêndio na região. No mesmo período de 2021, foram contabilizados apenas 34 focos de calor, uma queda de 97%.

Meio Ambiente