Democratas planejam recuperar o oeste dos EUA

Susan Milligan
Em Washington

Estrategistas do Partido Democrata, buscando maneiras de ampliar sua base de apoio, estão pedindo ao partido que dê nova ênfase ao oeste, onde dizem que os resultados das eleições estaduais e municipais e as mudanças demográficas indicam que há oportunidades políticas em uma região que é há muito tempo dominada pelos republicanos.

Lideranças do partido reconhecem que os Estados não litorâneos do oeste --que votaram em um bloco maciço no presidente Bush no mês passado-- estão longe de se constituírem em um reduto democrata. Mas as tendências populacionais estão fazendo com que Estados como Colorado, Arizona, Nevada e Novo México se transformem em territórios mais promissores para um futuro candidato presidencial democrata. E até mesmo Estados ferrenhamente republicanos, como Montana e Wyoming, estariam, segundo essas lideranças, exibindo tendências democratas.

Elas observam que as políticas agressivas de Bush no Iraque estão gerando preocupações no tradicionalmente isolacionista oeste, até mesmo entre os republicanos de longa data, e que várias iniciativas ambientais de nível local foram aprovadas em Estados nos quais o governo federal deseja permitir a exploração de petróleo e gás natural e a armazenagem de lixo atômico. A imigração hispânica também modificou a composição política de vários Estados na região, tornando-os mais hospitaleiros para com os democratas.

Conservadores sulistas dos dois partidos são atraídos por questões sociais como o casamento de homossexuais, o aborto e os valores religiosos, uma mistura que fez da região um território difícil para o candidato democrata John F. Kerry, dizem analistas políticos e líderes do partido. Mas o forte espírito independente do oeste e a população hispânica proporcionarão aos democratas uma chance de vitória na região em 2006 e 2008, afirma Simon Rosenberg, presidente da organização New Democrat Network.

"Acredito que o que acontece neste momento é que a marca conservadora de Bush, que está gerando bons resultados entre os indivíduos que defendem políticas sociais conservadoras, não está tendo muito sucesso entro os libertários", opina Rosenberg, que deve disputar a presidência do Comitê Nacional Democrata. "Os conservadores e liberais do oeste são bem diferentes daqueles do sul".

As questões ambientais podem também desempenhar um papel na tentativa de seduzir os eleitores independentes do oeste, onde o crescimento econômico deixou muita gente preocupada com a qualidade do ar, da água, e com a disponibilidade de espaço para recreação e caçadas.

Segundo uma pesquisas feita pela Liga de Eleitores pelo Conservacionismo, mais de três quartos das 147 propostas ambientais submetidas a votação neste ano foram aprovadas. Elas incluem o problema do trânsito de massa e da energia alternativa no Colorado e em Montana.

"Nos estados do oeste, estamos detectando uma mudança no comportamento das pessoas quanto às questões relativas a energia e meio-ambiente, como, por exemplo, a mineração", afirma Phil Clapp, presidente da organização ambientalista National Environmental Trust.

Rosenberg e outros democratas insistem que não estão desistindo do sul, apesar dos resultados eleitorais e as pesquisas revelarem uma tendência cada vez mais conservadora nessa região.

Neste ano os republicanos conquistaram cadeiras no Senado na Georgia, Louisiana, Flórida, Carolina do Norte e Carolina do Sul. Essas vitórias ajudaram o Partido Republicano a obter uma maioria de dez membros na próxima composição do Senado.

Mas, segundo Rosenberg e outras lideranças democratas, o partido precisa fazer incursões mais agressivas no oeste, especialmente entre os hispânicos, a fim de vencer uma eleição presidencial. Os democratas já estão exibindo avanços na região.

No mês passado, no Colorado, os eleitores alteraram a composição das duas casas legislativas estaduais, de republicana para democrata, e elegeram um senador democrata e um membro adicional para a Câmara Federal.

Já os eleitores de Montana elegeram um novo governador democrata, deram uma maioria democrata ao Senado Estadual, e podem moldar uma Assembléia Legislativa dividida igualmente entre democratas e republicanos. Uma decisão da Justiça determinará se a assembléia ficará igualmente dividida ou se terá uma ligeira vantagem republicana, após 12 anos de domínio absoluto do Partido Republicano.

Bush ganhou Nevada por pouco, obtendo 50% dos votos, e o Estado deu uma vitória esmagadora aos democratas Harry Reid, o futuro líder da minoria no Senado, e Shelley Berkley, atual deputada federal. Tanto o Novo México quanto o Arizona possuem governadores democratas e os democratas esperam até mesmo que Wyoming --que elegeu um governador democrata em 2002-- possa se tornar um pouco menos republicano.

"Não há nada de drástico ocorrendo por lá (em termos de votos eleitorais), mas se eles conseguirem avanços de forma a tornar a corrida eleitoral mais disputada, o Colorado é o Estado que tem mais potencial para mudanças", explica Floyd Ciruli, especialista independente em pesquisas de opinião, em Denver.

"Creio que Estados como Nevada, Novo México, Arizona e Montana apresentam as características de uma área que poderia se tornar democrata sob as condições ideais", afirma.

Grande parte da tendência inicial se deve à imigração e à migração interna, especialmente no caso dos hispânicos no Novo México, Arizona, Colorado e Nevada, dizem os analistas. Embora Bush tenha obtido um apoio hispânico substancial na recente eleição --os diretores das pesquisas de opinião discordam quanto à dimensão dos avanços de Bush neste reduto eleitoral--, os latinos ainda votam mais nos democratas do que nos republicanos, o que significa que um aumento da população hispânica em um dado Estado seria um fato desproporcionalmente benéfico para os democratas, afirma Rosenberg.

Além do mais, uma pesquisa feita pela National Annenberg Election Survey, divulgada na semana passada, revelou que embora o apoio a Bush entre os hispânicos tenha aumentado de 35% em 2000 para 41% neste ano, o presidente perdeu algum terreno entre os latinos do oeste, onde esse apoio caiu de 33% em 2000 para 30% neste ano. A pesquisa revelou que o oeste foi a única região na qual Bush perdeu apoio entre os eleitores hispânicos.

Mas embora os eleitores do oeste tenham demonstrado uma disposição crescente em votar nos democratas, eles são céticos quanto aos membros da ala mais liberal do partido, diz Whit Ayres, uma consultora do Partido Republicano.

"Qualquer grande governo liberal vai afundar como um balão de chumbo no libertário oeste. O individualismo áspero ainda é parte muito importante da região montanhosa do oeste", alerta Ayres.

Segundo ativistas e membros do Partido Democrata, as questões ambientais podem ser críticas para forjar campanhas democratas vitoriosas, mas somente se essas questões forem formuladas sob a ótica da qualidade de vida.

Embora muitos moradores do oeste possam se opor às pesadas regulamentações governamentais, eles se preocupam também com a perda das áreas abertas e do cenário natural primitivo que atraiu muitos deles para a região, diz Billy Sparks, vice-diretor da assessoria de comunicação do governador democrata do Novo México, Bill Richardson.

Por exemplo, uma pesquisa realizada neste verão revelou que menos de um quarto dos moradores do Novo México --e menos da metade dos republicanos no Estado-- aprovou a exploração de petróleo e gás natural na área de Otero Mesa, no sul do Estado, observa Richardson.

"O que emergiu foi uma forte coalizão de caçadores, desportistas, ambientalistas e fazendeiros que acham que o governo federal está ultrapassando os seus limites", diz Sparks.

Segundo pesquisas de opinião, a maioria absoluta dos moradores de Nevada se opõe ao armazenamento de lixo radioativo em um depósito na Montanha Yucca, no Estado. O senador eleitor Ken Salazar e o deputado eleito John Salazar, irmãos e democratas do Colorado, conseguiram apoio do eleitorado ao defenderem os direitos sobre a água neste Estado das Montanhas Rochosas.

Os ambientalistas dizem que outros democratas poderão vencer no oeste se enfatizarem questões similares.

"O povo do oeste descobriu que essas atividades (mineração, prospecção de petróleo e energia nuclear), realizadas de forma irresponsável, terão realmente um impacto sobre os seus estilos de vida", diz Deb Callaham, presidente da Liga de Eleitores pelo Conservacionismo. "É por isso que muita gente mora nesses Estados maravilhosos". Defesa do meio-ambiente deve fazer o partido ganhar mais eleitores Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos