Site de paquera para donos de animais é sucesso

Bella English
Em Boston

Steve Fruzzetti tem 35 anos, é solteiro, possui um grande senso de humor e é dono do seu próprio negócio. Mas perguntemos à sua alma gêmea, Bristol, o que ela acha de Steve: "Ele é muito amoroso, e gosta de fazer carinho. O seu senso de humor é bem árido. Às vezes não entendo as suas piadas". E quanto aos passatempos de Steve? "Nós caminhamos bastante. Ele diz que quer me levar para acampar, mas até agora nada. Ele está sempre trabalhando. Todos os finais de semana passeamos no parque dos cães ou vamos nadar".

Tom Herde/The Boston Globe - 6.fev.2006 
O empresário Steve Fruzzetti, de Massachusetts, abraça sua cadela Bristol, de 15 meses de idade
Bristol é uma cadela de um ano da raça golden retriever.

Kim Feinberg é uma representante de vendas da Wearguard, que tem uma densa cabeleira escura cacheada e um sorriso Colgate. Eis como a sua cadela, Lucy, de três anos de idade, que é uma mistura de mastiff com outra raça, a descreve: "Ela é muito sociável, engraçada e gentil. Adorável. Ela é bonita, ou pelo menos é isso o que ela me diz para dizer a ela pelo menos uma vez por dia! Mas, ei! O que posso fazer? É ela que cuida de mim!".

E o que mais, Lucy? "Ela adora caminhar - caminhamos sempre. O seu companheiro ideal precisa me tratar bem!!!"

A última pessoa que Feinberg namorou não gostava de cachorros. E ele foi embora (o cara, não o cachorro).

Cansados dos outros serviços de encontros online, Fruzzetti e Feinberg passaram a usar o animalattraction.com, criado por Dan Cohen no verão de 2003. Cohen, que cresceu em Westwood, Massachusetts, onde os seus pais e irmãos ainda moram, se mudou para o Distrito de Colúmbia a fim de estudar na Universidade George Washington, e ainda mora lá.

Um dia, ele caminhava por uma rua e viu um restaurante dotado de uma vibração intensa. Cohen descobriu o motivo: no pátio havia cachorros com os seus donos. Ele entrou para dar uma espiada.

"Me disseram que eu chegara na hora canina feliz", conta Cohen, 37, que é dono de Buddy, uma mistura de rottweiler com pastor alemão. "O que vi foi o máximo. As pessoas que pareciam interagir melhor eram aquelas que tinham cães entre si".

Tom Herde/The Boston Globe - 6.fev.2006 
Kim Feinberg, brinca com Lucy; a cadela "diz" que sua dona é divertida e delicada, no site de relacionamentos
Cohen, que obteve o seu MBA na Universidade Northwestern, realizou algumas pesquisas e descobriu que a indústria de serviços e produtos voltados para animais domésticos movimenta anualmente US$ 32 bilhões nos Estados Unidos, o que é bem mais do que o setor de doces ou o de brinquedos.

Ele descobriu também que havia 40 milhões de indivíduos solteiros e donos de animais domésticos no país. Foi então que surgiu a equação na sua cabeça: animais + amor = grandes negócios. Por que não criar um site de encontros para os amigos dos animais?

Eles teriam uma afinidade instantânea por meio dos seus bichos. O website traz fotos de humanos, e também a de animais de estimação, além de "entrevistas" com ambos. A inscrição é gratuita. Cohen ganha dinheiro com as propagandas publicadas no site.

"É muito divertido, e as pessoas acabam compartilhando uma quantidade bem maior de informação quando falam sobre si próprias na terceira pessoa", explica Cohen. No site é possível procurar por pessoas na sua área geográfica por gênero e idade.

Ele diz que em breve também será possível fazer a busca por animais de estimação: "Mostre-me mulheres que possuem gatos na área de Boston", ou "Mostre-me homens de qualquer região do país que sejam donos de labradores negros".

Fruzzetti adora esse recurso. "Não é que eu seja fútil ou algo do gênero", diz ele. "Mas eu seria incapaz de namorar alguém que tivesse um cachorro feio. Realmente não importa a aparência da pessoa. É verdade que eu primeiro vejo a sua foto, mas depois leio as informações para ter certeza de que ela tem um cão decente".

Quando ele se inscreveu no ano passado, apresentou fotos e informações dele e do seu cachorro. Ao se deparar com a pergunta, "Quais são as coisas mais legais ou engraçadas a respeito do seu animal de estimação?", Fruzzetti escreveu: "Bristol gosta de dormir de costas, enrolada, quase que formando um círculo".

Em pouco tempo ele conheceu alguém que tinha um labrador amarelo. No seu primeiro encontro, eles caminharam quase cinco quilômetros com os seus cães, que se deram muito bem. Todos os sábados eles saiam juntos para uma caminhada com os cachorros.

"Para mim, isso facilita o encontro. A gente se reúne e caminha com os cachorros em um lugar legal. Assim é possível ter uma conversa agradável e conhecer de fato a outra pessoa", explica Fruzzetti. As caminhadas se transformaram em jantares, que evoluíram para um romance. Eles namoraram por três meses, e depois terminaram (Fruzzetti garante que a culpa não foi dos cachorros).

Poucas semanas atrás, ele mandou um e-mail para outra mulher no animalattraction.com, e se encontrou com ela e com o seu cão mestiço de pastor alemão em um parque de Sharon. "Os nossos cães se deram muito bem, e havia muitos outros cachorros com os quais eles podiam brincar", conta Fruzzetti.

Na verdade, houve maior afinidade entre os cães do que entre os donos. "Foi uma simpatia instantânea", diz Fruzzetti, que é dono de uma firma especializada em levar cães para passear, e que participa de grupos de discussões empresariais em Milton. "Mas eu fiquei muito apegado ao cachorro dela".

Feinberg colocou a sua cadela, Lucy, em uma creche para cachorros, faz biscoitos caninos e possui um calendário que traz uma foto de Lucy para cada mês. Feinberg conheceu homens quando caminhava com Lucy, e namorou alguns deles. "É importante que tenhamos a mesma obsessão", diz ela. Como não tem um quintal, Feinberg, 33, caminha com Lucy duas horas por dia depois do trabalho.

No seu perfil no site, ela descreve Lucy da seguinte forma: "Ela é totalmente chique! Às vezes fica de mal-humor. Mas é uma criatura adorável!:)"

Eis o tipo de membro do site com o qual Feinberg é capaz de se relacionar: "Qualquer um que goste de passar o sábado caminhando pela praia com o seu cachorro, como eu, sem achar que isso seja esquisito", diz ela. Porém, os homens que conheceu online moram longe de Boston. "Não vou até Vermont para conhecer alguém que tenha um cachorro. E o meu primeiro contato foi com um sujeito de Missouri".

Bob Jones é um viúvo aposentado que certa vez levou o seu labrador negro, Drambuie, para passear pelo país no seu trailer de dez metros de comprimento. Ele mora em Bedford e conheceu algumas mulheres no site, mas não se envolveu em nenhum relacionamento sério. "Todos têm a mesma sensação. Se você não gosta do meu cachorro, ou do meu gato, não perca tempo em conversar comigo. Eu adoro o meu cachorro. Ele é a minha família".

O animalattraction.com conta com salas de discussão, quadros de mensagens, concursos de fotos de animais de estimação, e algo denominado "Happy Tails" ("Rabos Felizes"), um espaço no qual os casais que se relacionaram por meio do site, e os seus animais de estimação, contam tudo (ou quase tudo).

Jones, 61, freqüenta as salas de discussão todas as noites, conversando sobre os mais diversos assuntos, como por exemplo o motivo pelo qual um determinado cachorro não pára de latir, ou as coisas engraçadas que os animais fizeram durante o dia.

Embora grande parte dos amigos dos animais que freqüentam o site seja composta de donos de cães ou gatos, há também proprietários de todos os tipos de animais exóticos procurando uma alma gêmea. "Existe alguma fanática por furões por aí?", pergunta um homem, que recebe a seguinte resposta: "Sou propriedade de um grande furão... Eu gostaria de ter outros, mas por ora, tendo já o furão, uma cobra, um camaleão, um pássaro, um gato e um cachorro, acho que já tenho o suficiente".

Uma outra indagação: "Só por curiosidade, há alguma mulher aí interessada em répteis e/ou aracnídeos?".

Na verdade, havia várias. Arachdude7 e Blue-Russian2004 passaram a discutir os méritos relativos dos lagartos-de-língua-azul e dos hognoses ocidentais (é melhor saber com antecedência se a sua paquera gosta de serpentes de um metro de comprimento).

Uma outra mulher escreveu que têm um dragão barbado de seis meses chamado Sargon. "Acho os barbados umas criaturinhas muito dóceis e curiosas. Porém, não gosto de aranhas. Elas me apavoram!". A idéia é unir as pessoas que gostam de cães, gatos e outros bichos Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos