Geraldo Alckmin reconhece derrota e prega "absoluto respeito às urnas"

Janaina Garcia

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/GloboNews

Candidato derrotado à Presidência pelo PSDB, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez um discurso de "absoluto respeito às urnas" sobre o pior resultado do partido em uma disputa presidencial desde 1994. Alckmin obteve pouco menos de 5% dos votos válidos e ficou em quarto na disputa, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT).

"Nosso mais absoluto respeito às urnas, ao resultado das urnas, à manifestação dos eleitores. E, de outro lado, também destacar a nossa serenidade como democratas que somos, e, de outro lado, a humildade", declarou.

A derrota tucana ocorre em um momento emblemático para a sigla: é a primeira vez, desde 1989, que o partido não avança ao segundo turno presidencial. Além disso, a derrota acontece também no ano em que o PSDB completou três décadas de fundação, e sob a presidência nacional de Alckmin.

Mais cedo, ao votar em um colégio do Morumbi, na zona sul de São Paulo, Alckmin adotara um tom de cautela ao comentar as chances remotas de seguir ao segundo turno, bem como sobre os apoios que pudessem ser eventualmente declarados nessa etapa.

Afilhado político de Alckmin, o ex-prefeito e candidato ao governo pelo PSDB João Doria declarou, de manhã, que votara no tucano "por solidariedade". Após votar, Alckmin não quis comentar a declaração do aliado.

Após o pronunciamento de Alckmin, Doria o elogiou. "Geraldo Alckmin foi um guerreiro, com a sua bondade, seu conhecimento, seu equilíbrio. Será sempre um grande líder do PSDB, um grande ser humano, uma pessoa a ser reverenciada eternamente." Na sequência, militantes aplaudiram.

O tucano foi à sede do partido na região central de São Paulo já depois das 21h. Acompanhado da mulher, Lu Alckmin, de sua vice, a senadora Ana Amélia (PP-RS), do senador José Serra (PSDB-SP) e de aliados, Alckmin fez um breve pronunciamento sobre o resultado e não respondeu a perguntas da imprensa.

Alckmin agradeceu pelo empenho da senadora com sua vice e destacou a atuação do deputado federal Silvio Torres, lembrando que o tucano abdicou de uma campanha pela reeleição em prol da atuação na frente presidencial.

De acordo com Alckmin, a executiva nacional se reúne nesta terça-feira (9), em Brasília, para avaliar os resultados eleitorais do partido e firmar posicionamento sobre o segundo turno.

Sobre a reunião de terça-feira, em Brasília, o tucano definiu que ela servirá para "fazer uma avaliação do processo eleitoral e também tomar uma posição em relação ao segundo turno e aos segundos todos dos demais estados". Ele complementou que o encontro ainda servirá para uma "avaliação política do quadro mais geral".

"Mas quero reafirmar a nossa convicção na essência do regime democrático. Não tem poder que não seja legitimado pelo poder do voto, pela expressão popular —essa expressão maior", definiu.

Fã de citações em seus discursos, o ex-governador evocou Câmara Cascudo para declarar que "o melhor produto do Brasil ainda continua sendo os brasileiros".

Também em São Paulo, estado que governou nos dois últimos mandatos consecutivos, Alckmin perdeu para Bolsonaro, Haddad e Ciro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos