Na TV, Doria usa rejeição à esquerda, e França reforça que já governa SP

Gabriela Fujita

Em São Paulo

Candidatos ao governo do estado de São Paulo, João Doria (PSDB) investiu em ataques e Márcio França (PSB) reforçou a mensagem de que já governa o estado, na primeira propaganda eleitoral gratuita na TV deste segundo turno, divulgada às 13h desta sexta-feira (12).

O tucano Doria, em tom de ataque, criticou o PT e associou o concorrente à ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a Cuba e ao socialismo.

"Meu adversário é socialista e apoiador do PT", afirma em um trecho do vídeo. "Márcio França é esquerdista, um genérico do PT", diz em outro momento.

Doria não citou seu partido, o PSDB, que esteve no comando do estado por 24 anos, mas falou por duas vezes no candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL).

"Defendo o Bolsonaro e condeno o Fernando Haddad", disse ao confirmar para quem vai seu apoio no segundo turno. O PSDB, por enquanto, não se manifestou sobre quem dos dois presidenciáveis irá acompanhar.

Márcio França preferiu reforçar que é o atual governador do estado: "Como vocês sabem, eu sou o novo governador de São Paulo. Eu estou aqui há pouco mais de cinco meses, já estamos fazendo muita coisa".

Eleito como vice de Geraldo Alckmin (PSDB) para o Palácio dos Bandeirantes, ele assumiu como governador em abril, fato ainda desconhecido de muitos paulistas, quando Alckmin deixou o cargo para concorrer à Presidência.

Nesta manhã, em evento na basílica de Aparecida, no interior do estado, algumas pessoas perguntaram a jornalistas quem era a autoridade que estava presente. Ao ouvirem a palavra "governador", responderam "Alckmin?", relatou o repórter Flavio Costa, do UOL, que acompanhou a missa da padroeira.

Na TV, França não citou o nome do adversário em nenhum momento, mas fez referências ao fato de Doria ter deixado a prefeitura da cidade de São Paulo um ano após ser eleito no primeiro turno, em 2016.

"Eu não sou de abandonar nada pela metade", afirmou em um momento do vídeo. "Pode confiar, aqui tem palavra", disse em outro trecho.

O empresário Paulo Skaf, que disputou o primeiro turno pelo MDB e ficou em terceiro lugar por uma pequena diferença para França, aparece na propaganda reafirmando seu apoio ao candidato do PSB. "Já tomei minha decisão, meu voto é Márcio França", diz o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Propaganda no rádio

No rádio, onde, mais cedo, os candidatos já tinham estreado suas estratégias para o segundo turno, a propaganda eleitoral também teve apoio a Bolsonaro por parte de Doria. O tucano apresentou propostas que lembram o discurso do deputado federal e capitão reformado para a segurança pública, como "redução da maioridade penal de 18 para 16 anos", e defendeu "que bandido cumpra pena na cadeia".

O bloco de Márcio França teve a participação de Paulo Skaf: "Meu voto agora é 40", declarou o empresário. O apoio do emedebista a França foi selado na quarta-feira (10), durante evento em Suzano (Grande São Paulo).

Em outros momentos dos programas, os candidatos voltaram a se atacar usando discursos já explorados durante o primeiro turno.

Na tentativa de atrair o eleitorado insatisfeito com as últimas gestões petistas, o candidato tucano falou em evitar a volta "da esquerda socialista e aliados do PT", colando a imagem do adversário a setores da esquerda 

Márcio França, por sua vez, alertou o ouvinte de que "não vale mentir, trair os amigos, dar a palavra e voltar atrás", referindo-se ao fato de Doria ter deixado a prefeitura da capital antes do fim do mandato.

Como funciona o horário eleitoral no segundo turno

São dois blocos de dez minutos do horário eleitoral gratuito pela manhã no rádio, às 7h10 e às 12h10, de segunda a sábado. Na TV, a propaganda também é dividida em dois blocos diários de dez minutos, às 13h10 e às 20h40, de segunda a sábado. Nos dois veículos, os programas dos candidatos ao governo são exibidos após o bloco presidencial.

Cada candidato tem cinco minutos em cada um dos blocos. Doria abriu o primeiro dia de campanha por ter sido o mais votado no primeiro turno. Nos dias seguintes, França e Doria irão abrir os blocos de forma alternada.

Além do tempo de horário eleitoral gratuito, os dois candidatos irão dividir os 25 minutos destinados a inserções de 30 segundos ou 60 segundos durante os intervalos comerciais da programação normal de rádio e TV. As inserções vão ao ar de segunda a domingo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos