Topo

Se houve "corrupção", mídia será investigada, diz Odair Cunha, relator da CPI do Cachoeira

Fábio Brandt

Do UOL, em Brasília

04/05/2012 07h00

"Se houve cooptação e corrupção de alguns atores da mídia, isso deve ser investigado", disse nesta quinta-feira (3) o relator da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) do Cachoeira, deputado federal Odair Cunha (PT-MG). Ele afirmou que "não há tema proibido" nos trabalhos da comissão.

O deputado falou sobre o assunto no “Poder e Política – Entrevista”, programa do UOL e da Folha conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília. 

>> Fotos da entrevista com Odair Cunha.

Cunha disse que analisará inquéritos da Polícia Federal antes de se posicionar “sobre a participação de qualquer pessoa, não só da mídia" na suposta organização criminosa de Carlinhos Cachoeira. O deputado afirmou ainda que “é preciso individualizar condutas” e que a CPMI deverá apurar suspeitas que recaem sobre “membros da imprensa, membros do empresariado brasileiro, membros do Congresso Nacional, agentes de governos municipais e estaduais e agentes do governo federal”.

Sobre não ter convocado governadores suspeitos para depor em maio, primeiro mês de funcionamento da comissão, Cunha disse não haver indícios suficientes para justificar a medida. "Se ficar evidenciado cooptação e corrupção, este tema dos governadores deve ser tratado por nós [da CPMI]”. Já foram associados a fatos do escândalo Cachoeira os governadores Agnelo Queiroz (PT), de Brasília, Marconi Perillo (PSDB), de Goiás, e Sérgio Cabral (PMDB), do Rio de Janeiro.

Odair também falou sobre possível convocação do dono da empreiteira Delta, Fernando Cavendish. Isso acontecerá, segundo o deputado, "se ficar evidenciado que a Delta como um todo ou que o sr. Fernando Cavendish participou dessa organização criminosa".

A seguir, playlist com trechos em vídeo da entrevista de Odair Cunha (passe o mouse sobre as imagens para escolher o tópico do depoimento que deseja assistir). Abaixo da playlist, vídeo com a íntegra da entrevista. A transcrição completa está disponível em texto.

 

 

 

 

Mais Política