Topo

Mano só é técnico "atual", diz Marin

Fábio Brandt

Do UOL, em Brasília

12/11/2012 06h00

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, evita falar em Mano Menezes como técnico do Brasil na Copa do Mundo de 2014. “Ele é o técnico atual da seleção brasileira”, disse Marin ao “Poder e Política”, projeto do UOL e da Folha conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues. A gravação ocorreu em 7 de novembro no estúdio do UOL em São Paulo.

Questionado sobre a permanência de Mano após a Copa das Confederações de 2013, o cartola preferiu não ser assertivo sobre o futuro do técnico. Apesar disso, afirmou não querer deixar o técnico e os jogadores sob pressão.

Na entrevista, José Maria Marin revelou ter sido procurado por Ronaldinho Gaúcho, jogador do Atlético Mineiro, que se colocou “à disposição”. Para Marin, seria “ideal” misturar jogadores experientes com as novas revelações do futebol nacional.

Ele sugeriu ainda que não continuará à frente da CBF depois que seu mandato terminar em 2015. Em seguida, elogiou a pretensão do ex-jogador Ronaldo, o “Fenômeno”, de presidir a instituição. “O Ronaldo [Fenômeno] dirigente, em qualquer sentido, me agrada. De clube, de federação, de CBF”.

O desejo de Ronaldo foi revelado por ele mesmo também em entrevista ao “Poder e Política”, em 19 de março de 2012.

Ditadura e Dilma Rousseff
O presidente da CBF considerou como “intriga” e “infâmia” a acusação de que ele teve alguma responsabilidade pela morte do jornalista Vladimir Herzog na década de 70. Apoiador da ditadura militar, Marin era deputado estadual em São Paulo e fez discursos críticos à TV Cultura na época em que Herzog, diretor da emissora, foi preso.

Segundo o cartola, essa “intriga” nada tem a ver com a relação distante que a CBF tem com o governo federal. Na gestão anterior à de Dilma Rousseff houve mais proximidade, disse Maria, porque o ex-presidente Lula “é do futebol”, um "boleiro". Já a atual presidente não teria essas características. “Nós temos o maior respeito e admiração pela atuação da presidente”, afirmou o cartola.

Acesse a transcrição completa da entrevista.

A seguir, vídeos da entrevista (rodam em smartphones e tablets):

1) Quem é José Maria Marin? (1:31)

2) Marin evita falar de Mano como técnico em 2014 (2:09)

3) Ronaldinho se põe à disposição da seleção, diz Marin (3:03)

4) Para Marin, Fifa precisa usar mais tecnologia (1:53)

5) Para CBF, calendário europeu não serve para o Brasil (1:06)

6) Marin propõe convocar só 1 jogador por time brasileiro (2:32)

7) Clubes podem recusar convocação de jogadores, diz CBF (1:57)

8) Marin sugere que só terá 1 mandato na CBF (3:09)

9) Marin vê com simpatia Ronaldo como presidente da CBF (1:55)

10) TAM deixa CBF, que já procura outra empresa, afirma Marin (2:39)

11) Teixeira terá R$100 mil mensais até fim do ano, diz CBF (1:49)

12) Lula é boleiro; Dilma não é, afirma Marin (3:32)

13) Acusação por morte de Herzog é intriga, diz Marin (3:26)

14) Marin diz que origem humilde motiva acusações (4:04)

15) Íntegra da entrevista (58 min.)

 

Acompanhe Fernando Rodrigues no Twitter e no Facebook.

Mais Política