PUBLICIDADE
Topo

Política

Ministro da Previdência também diz que devolverá dinheiro de voo da FAB

Fernanda Calgaro

Do UOL, em Brasília

05/07/2013 18h48Atualizada em 05/07/2013 19h24

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves, comunicou ao Palácio do Planalto que irá ressarcir os cofres públicos do valor do voo no avião da FAB, segundo informou a assessoria de imprensa do governo na noite desta sexta-feira (5).

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Ministério da Previdência. O valor do ressarcimento, no entanto, só será calculado e divulgado na semana que vem.

Garibaldi usou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) no fim de semana para ir ao Rio de Janeiro assistir à final da Copa das Confederações no Maracanã. Segundo nota oficial divulgada mais cedo, ele tinha passagem comprada para ir ao Rio em avião comercial. O documento também afirma que o ministro voltou a Brasília em voo comercial.

Voo da FAB grátis

  • Divulgação

    Qualquer cidadão civil também pode pleitear um lugar nos voos da Aeronáutica, sem custo nenhum, para todas as regiões do país, desde que haja vagas nas aeronaves. Clique na imagem para ler a matéria

No entanto, segundo a nota, ele decidiu mudar o itinerário e avisou a mudança ao Comando da Aeronáutica. "Ao final da cerimônia oficial no Ceará, em vez de retornar a Brasília, ou mesmo a Natal, como lhe facultava o art. 4º do Decreto n.º 4.244/2002, a aeronave da FAB o levou diretamente ao Rio de Janeiro. "

Segundo a "Folha de S.Paulo", o ministro saiu de Brasília na sexta-feira às 6h com destino a Fortaleza para cumprir agenda oficial na cidade de Nova Morada (CE). O compromisso acabou pela manhã, e, em vez de retornar à capital, o ministro foi direto para o Rio, onde não tinha compromissos oficiais.

Garibaldi é primo do presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que também usou avião da FAB para ver o mesmo jogo da seleção no Maracanã, em que levou sete convidados de Natal para o Rio. Alves disse que ressarciu o dinheiro das passagens, cerca de R$ 9 mil, aos cofres públicos.

Nesta semana, a "Folha" revelou também que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), usou um avião da FAB para ir ao casamento da filha do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) em uma praia na Bahia. Ontem, Renan disse que estava em viagem como representante do Senado e não iria devolver o valor, mas hoje voltou atrás e disse que pagará R$ 32 mil à União.

A Agência Estado havia publicado ontem que o ministro Joaquim Barbosa viajou ao Rio de Janeiro para assistir a um jogo do Brasil com recursos públicos, mas o Supremo Tribunal Federal, presidido por ele, negou a informação e disse que "o presidente do STF não viajou para o Rio de Janeiro, no último dia 31 de maio, para assistir ao jogo do Brasil. O ministro retornou para a sua residência no Rio de Janeiro, como faz regularmente há mais de 10 anos, desde que empossado no Supremo".

Política