PUBLICIDADE
Topo

Política

PF vai investigar declarações atribuídas a ministra em blog com notícias falsas

Alex Rodrigues

Da Agência Brasil, em Brasília

16/10/2013 20h29

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou à Polícia Federal que instaure inquérito para apurar declarações falsas atribuídas à ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, em um blog na internet. O blogueiro diz que a ministra ficou comovida ao ver um vídeo que mostra um policial de São Paulo atirando em um assaltante de moto. O caso ocorreu no último sábado (12). O pedido de apuração foi feito pela ministra.

Para a ministra, o autor do texto e responsável pelo blog "Joselito Müller – Jornalismo Destemido" cometeu um ato criminoso e feriu princípios éticos fundamentais, ao atribuir falsas declarações a ela. O texto foi publicado nesta terça-feira (15).

Além de afirmar que a própria ministra revelou ter ficado comovida, o autor do texto diz que Maria do Rosário encaminhou ofício ao Youtube para que retirasse do site cópias do vídeo gravado pelo dono da moto, que mostra a ação do assaltante e o momento em que este é baleado. O texto recebeu, até a tarde de hoje (16), mais de 3.900 comentários e foi reproduzido por vários sites e blogs.

“Sou defensora plena da liberdade de expressão, mas a manipulação é inadmissível”, afirmou a ministra, em nota divulgada nesta quarta-feira. Maria do Rosário destaca que o policial agiu dentro da lei, ao balear um assaltante e alerta que a internet, “na maioria das vezes, uma aliada essencial para a democratização da informação, não pode se converter em um território de espionagem, nem tampouco de difusão de informações que violem os direitos das pessoas”.

Em entrevista coletiva na qual anunciou a data de exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart, a ministra classificou a ação do blog de "falta de ética e atitude criminosa" e disse que isso não pode continuar.

“A utilização das redes para caluniar pessoas é algo que eu rejeito totalmente. E penso que devemos fazer uma campanha pela ética na internet para que as pessoas deem sua opinião política com liberdade, mas sem falsear declarações de quem quer que seja. Vou processar [o responsável], pois a liberdade de comunicação pressupõe a responsabilidade”, disse Maria do Rosário.

A Agência Brasil enviou uma mensagem ao autor do blog, mas não recebeu resposta até o momento da publicação desta matéria. Hoje, em outro texto, o autor minimiza a repercussão do que classifica de “falsa notícia”, de “boato que ganhou enorme repercussão nas redes sociais”.

O blog é o mesmo que, em junho deste ano, publicou texto dizendo que o Ministério da Cultura gastou R$ 4 milhões na construção do Memorial do Funk, gerando polêmica e indignação entre parlamentares oposicionistas. Naquele texto, atribuía-se a um “porta-voz” do ministério a declaração de que o objetivo do memorial seria divulgar e promover a cultura da periferia e a informação de que o governo pretendia ensinar, nas escolas, as crianças a compor e dançar funk, rap e hip hop. As informações falsas espalharam-se pelas redes sociais e chegaram a ser citadas em alguns veículos.

Na ocasião, procurada pela Agência Brasil, a assessoria do Ministério da Cultura limitou-se a observar que o próprio autor do blog diz que não faz notícia, e sim humor.

Política