PUBLICIDADE
Topo

Política

Apoio da população ao Mais Médicos sobe a 84,3% dos brasileiros, diz pesquisa

O médico cubano Juan Delgado, que foi hostilizado durante manifestação contra Mais Médicos, durante sanção do programa ao lado de Dilma e do ministro da Saúde, Alexandre Padilha - Roberto Stuckert Filho - 22.out.2013/PR
O médico cubano Juan Delgado, que foi hostilizado durante manifestação contra Mais Médicos, durante sanção do programa ao lado de Dilma e do ministro da Saúde, Alexandre Padilha Imagem: Roberto Stuckert Filho - 22.out.2013/PR

Fernanda Calgaro

Do UOL, em Brasília

07/11/2013 11h28Atualizada em 30/03/2015 14h31

O programa do governo federal Mais Médicos, que leva brasileiros e estrangeiros para trabalhar em áreas carentes desses profissionais no país, tem apoio de 84,3% da população, segundo pesquisa de opinião divulgada nesta quinta-feira (7) pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes) em parceria com o instituto MDA. Na última pesquisa, divulgada em setembro, 73,9% da população apoiavam o programa e, em julho, quando a ação foi lançada, tinha o apoio de apenas 49,7%.

  • Arte UOLSaiba qual a proporção de médicos em cada Estado e o panorama em outros países

Dos entrevistados, 66,8% acreditam que os médicos estrangeiros estão capacitados para trabalhar no país. Para 13%, o programa tem cumprido “totalmente os objetivos para os quais foi criado” e 46% acham que está cumprindo apenas em parte.

Entre os que responderam à pesquisa, 90,6% não conhecem ninguém que tenha sido atendido por um médico estrangeiro do programa.

O programa foi sancionado pela presidente Dilma Rousseff em cerimônia no último dia 22 no Palácio do Planalto. O Mais Médicos deve ser uma das vitrines eleitorais de Dilma em 2014.

Mesmo com a aprovação ao Mais Médicos, a Saúde é o setor que, na opinião de 87,4% dos entrevistados, mais precisa de melhorias no Brasil. A segunda área apontada na pesquisa é Educação, lembrada por 49,7%. Segurança aparece em terceiro lugar, com 34,3%.  

Foram ouvidas 2.005 pessoas em 135 municípios de 21 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa foi feita entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro.

Política