Topo

Boletim descarta infarto de Genoino e aponta pressão alta; junta médica é definida

Ronan e Miruna, filhos do deputado José Genoino,(PT-SP), condenado no julgamento do mensalão, deixam o Instituto de Cardiologia do DF, onde o parlamentar encontra-se internado - Sergio Lima/Folhapress
Ronan e Miruna, filhos do deputado José Genoino,(PT-SP), condenado no julgamento do mensalão, deixam o Instituto de Cardiologia do DF, onde o parlamentar encontra-se internado Imagem: Sergio Lima/Folhapress

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

22/11/2013 14h00Atualizada em 22/11/2013 16h23

O deputado federal e ex-presidente do PT José Genoino não sofreu infarto enquanto esteve preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília, segundo boletim médico divulgado nesta sexta-feira (22) pelo Instituto de Cardiologia de Brasília.  Foi diagnosticado aumento da pressão arterial e alteração de coagulação.

O parlamentar passou por exames no instituto, onde está internado. Segundo o boletim médico, a pressão alta e a alteração de coagulação podem provocar sangramentos e comprometer o resultado de cirurgia da aorta realizada por Genoino em julho deste ano. 

Também na tarde de hoje, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão, expediu um mandado para intimar o médico cardiologista presidente da junta médica que irá avaliar a condição de saúde de Genoino para marcar a data e o horário da perícia. A reportagem do UOL tentou localizar o médico Luiz Fernando Junqueira Júnior, mas sem sucesso. 

Além de Junqueira, professor titular de Cardiologia da UnB, foram indicados para compor a junta médica os profissionais Alexandre Visconti Brick , professor doutor de cirurgia cardiovascular da UnB; Fernando Antibas Atik, PhD em cirurgia cardiovascular e preceptor da residência em Cardiologia UnB/IC-DF; Cantídio Lima Vieira, cardiologista do HUB e especialista em perícia médica, e Hilda Maria Benevides da Silva de Arruda, cardiologista do HUB e mestre em cardiologia.

Após conceder provisoriamente a prisão domiciliar ou hospitalar a Genoino, Barbosa determinou ontem que uma junta médica desse um parecer sobre o estado de saúde do parlamentar para que o ministro possa, então, decidir se concede a prisão domiciliar ou hospitalar em definitivo. 

De acordo com o boletim, o quadro de Genoino é estável. Ele deve permanecer internado até que sejam controlados a pressão e os parâmetros de coagulação.

O petista passou mal por volta das 13h30 de ontem e foi levado da Papuda para o instituto. Seu advogado, Luiz Fernando Pacheco, havia dito que o petista teria sofrido um princípio de infarto, informação agora desmentida pelo boletim.

Laudo do IML

Um laudo do IML (Instituto Médico Legal) de Brasília sobre a saúde do ex-presidente do PT, divulgado na última terça, conclui que ele é "paciente com doença grave, crônica e agudizada, que necessita de cuidados específicos, medicamentosos e gerais".

Além de internação de ontem, Genoino sentiu-se mal pelo menos duas vezes desde que foi preso --a penúltima ocorreu nesta quarta-feira, segundo seu advogado.

Entre agosto e setembro deste ano, o petista passou quase um mês internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, por conta de problemas cardíacos. Genoino foi submetido a uma cirurgia para correção de dissecção de aorta e teve também uma isquemia (obstrução da circulação sanguínea) cerebral leve.

Além de Genoino, foram expedidos mandados de execução das penas para mais 14 dos 25 condenados no julgamento do mensalão. Entre eles, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.

Antes da sessão desta quinta-feira (21) do STF, o ministro Marco Aurélio foi questionado sobre a demora em relação ao pedido de prisão domiciliar para o ex-presidente do PT. Segundo ele, o STF "não vai ser responsabilizado [caso ocorra algo com Genoino] porque vai atuar com a ordem jurídica. Se houver a martirização de um certo condenado, é um risco latente", declarou.

$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','12604+AND+60607', '')

Política