Topo

Com renúncia de tucano, "deputado do castelo" pode voltar para Câmara

Edmar Moreira em foto de 20 de maio de 2009 - 20.mai.2009 - Sérgio Lima/Folha Imagem
Edmar Moreira em foto de 20 de maio de 2009 Imagem: 20.mai.2009 - Sérgio Lima/Folha Imagem

Carlos Eduardo Cherem

Do UOL, em Belo Horizonte

19/02/2014 14h23Atualizada em 19/02/2014 16h22

Com a renúncia do deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), o ex-deputado Edmar Moreira (PR-MG) poderá assumir uma vaga na Câmara dos Deputados. Moreira, que possui um castelo em São João Nepomuceno (318 km de Belo Horizonte), ficou conhecido em 2009, quando renunciou ao mandato de deputado federal após denúncias de uso irregular de verbas indenizatórias.

De acordo com a assessoria de imprensa da Câmara, Moreira conquistou a sétima colocação pelo PR na coligação que elegeu 25 deputados federais por Minas Gerais.

Márcio Reinaldo (PP) e Carlaile Pedrosa (PSDB) assumiram, respectivamente, as prefeituras de Sete Lagoas (MG) e Betim (MG). Quatro outros eleitos --Carlos Melles (DEM), Nárcio Rodrigues (PSDB), Alexandre Silveira (eleito pelo PPS e, hoje, no PSD) e Bilac Pinto (PR)-- são secretários estaduais em Minas Gerais e abriram as vagas para os suplentes: João Bittar (DEM), Jairo Ataíde (DEM), Humberto Souto (PPS) e Renato Andrade (PP).

O outro suplente que pode assumir a cadeira de Azeredo é Ruy Muniz (DEM), que foi eleito prefeito de Montes Claros (MG).

A assessoria da Câmara dos Deputados informa que, caso Muniz, não aceite, o próximo da lista é o ex-deputado Edmar Moreira. A reportagem do UOL não localizou o ex-deputado para comentar o caso.

O prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz (DEM), afirmou que não vai assumir a vaga de deputado federal por Minas Gerais no lugar de Azeredo. 

Em nota oficial, Muniz afirmou que sempre sonhou em ser prefeito e se preparou durante 30 anos para assumir a cidade. “Assumir a vaga de deputado federal neste momento é colocar meu sonho de lado, é não  realizar as transformações que farão de Montes Claros o melhor lugar para se viver. Por tudo isso, e em respeito aos 105.610 cidadãos montes-clarenses que depositaram suas esperanças em mim, permanecerei na Prefeitura, de onde poderei servir melhor nossa população”, disse na nota. 

Mais Política