Processo de impeachment

O que acontece com a economia brasileira após o avanço do impeachment?

Do UOL, em São Paulo

  • Arte/UOL

    Avanço do impeachment não resolve crise econômica, inflação e dólar alto

    Avanço do impeachment não resolve crise econômica, inflação e dólar alto

Economistas entrevistados pelo UOL acreditam que o avanço do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados pode dar um pequeno fôlego para a economia, mas avisam que, para superar a crise econômica, é preciso investir em infraestrutura e reduzir a taxa de juros.

Marcio Pochmann, que foi integrante dos governos Lula e Dilma, diz que "o Brasil deve começar a sair da recessão em 2017" e que "a redução dos juros pouparia R$ 30 bilhões em 12 meses".

Baixar os juros é um ponto em que todos os economistas entrevistados concordam. "Taxa de juros alta para combater a inflação é balela", afirma Paulo Roberto Feldmann, professor de economia da USP. "Nenhum país usa mais isso". O economista também diz que o governo - seja Dilma ou Temer - deve criar linhas de crédito para pequenas e médias empresas no BNDES.

Veja o que pensam os entrevistados sobre o que acontece com a economia brasileira após o avanço do impeachment:

RECESSÃO DEVE DURAR ATÉ 2017, DIZ ECONOMISTA

  •  

REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS DEVE COMEÇAR EM 3 MESES

  •  

REDUZIR JUROS POUPARIA R$ 30 BI EM 12 MESES, DIZ ECONOMISTA

  •  

PAÍS DEVE MELHORAR INFRAESTRUTURA E ATRAIR INVESTIMENTOS

  •  

BNDES DEVE INVESTIR NAS PEQUENAS EMPRESAS, DIZ ECONOMISTA

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

LEIA MAIS

UOL Cursos Online

Todos os cursos