'Vou incentivar as reformas política e da Previdência', diz Temer

Do UOL, em São Paulo

  • Alan Marques - 16.jun.2016/Folhapress

    Michel Temer voltou a negar que será candidato em 2018

    Michel Temer voltou a negar que será candidato em 2018

Michel Temer quer promover as reformas política e da Previdência a partir do momento em que for efetivado na Presidência da República. A declaração foi dada em entrevista ao jornalista Roberto D'Ávila, que foi transmitida na noite desta terça-feira (21) pela GloboNews.

O presidente interino Temer citou a questão previdenciária ao falar sobre assuntos que ele ainda não tratou "por falta de tempo" e por estar na condição interino até que o processo de impedimento de Dilma Rousseff seja concluído pelo Senado. Sobre a reforma política, ele declarou que a tarefa cabe ao Congresso realizá-la, mas ressalvou: "Vou incentivar muitíssimo a reforma política. Acho importantíssimo para governar." 

Temer também afirmou ainda que não irá processar o ex-presidente da Transpetro Sergio Machado, que prestou delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. "Eu não vou processá-lo, o que ele mais quer é isso: polarizar com a Presidência. Eu não vou dar esse valor. Eu não falo para baixo." 

O presidente interino voltou a negar que tenha pedido qualquer vantagem indevida a Machado. Em sua delação, Machado disse que Temer lhe pediu dinheiro para a campanha de Gabriel Chalita (hoje no PDT, então no PMDB, partido de Temer) à Prefeitura de São Paulo em 2012 e que repassou R$ 1,5 milhão à campanha por meio de doações cuja origem era dinheiro de propina.
 
Ainda de acordo com Temer, sua prioridade à frente do governo é combater o desemprego, e acrescentou que não fará alterações no percentual dos gastos da União com educação e com saúde.
 
O presidente interino tentou se desvincular do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ao declarar não tem influência em sua gestão. Declarou que não vai interferir nas investigações da Lava Jato e que manterá os programas sociais, a exemplo do Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida, mas que estes passarão por inspeções.

Doações de campanha

Ao comentar sobre a nova regra que proíbe a doação de empresas às candidaturas nas eleições municipais deste ano, Temer defendeu a doação de pessoas jurídicas, desde que seja somente a um candidato ou partido. "Tenho a impressão que aquilo que ocorrer nessa eleição municipal dará um norte para o que vier a ser nas eleições de deputado, presidente."

Em outro trecho da entrevista, ele justificou a restrição ao uso do avião da FAB (Força Aérea Brasileira) por parte da presidente afastada, Dilma Rousseff. De acordo com ele, Dilma estaria utilizando a aeronave oficial para "denunciar o 'golpe' o que é uma situação esdrúxula". Ele negou novamente que o afastamento de Dilma configure um golpe de estado.

Mais uma vez, o presidente interino voltou a negar que será candidato à reeleição em 2018, caso seja efetivado.

 

Receba notícias de Política pelo Whatsapp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1) adicione este número à agenda do seu telefone: +55 (11) 97532-1358 (não esqueça do "+55"); 2) envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: brasil3000.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos