PUBLICIDADE
Topo

Política

A dois dias de ser julgado pela Câmara, Temer condecora Raquel Dodge

Raquel Dodge recebeu Medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico - FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Raquel Dodge recebeu Medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico Imagem: FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

23/10/2017 11h35Atualizada em 23/10/2017 17h39

A dois dias de ser julgado pela Câmara dos Deputados quanto à denúncia por organização criminosa e obstrução de Justiça, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), condecorou nesta segunda-feira (23) a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, com a Ordem do Mérito Aeronáutico. O grau da condecoração foi a de Grande Oficial, destinada, em geral, a ministros e autoridades do alto escalão do governo.

A peça contra Temer foi apresentada pelo antecessor de Dodge, Rodrigo Janot, dois dias úteis antes de terminar o mandato, em setembro. A denúncia também acusa os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da República) por organização criminosa. Janot foi condecorado com a distinção em outubro do ano passado.

Nesta quarta-feira (25), o plenário da Câmara vai votar o parecer que pede a rejeição da denúncia elaborado pelo deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG).

Além de Dodge, também foram agraciados com a comenda outras 195 pessoas. A lista inclui os ministros Torquato Jardim (Justiça), Dyogo Oliveira (Planejamento), Leonardo Picciani (Esporte), Helder Barbalho (Integração Nacional), o embaixador Eduardo Saboia, além de ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça), deputados federais, entre outras personalidades militares e civis, como o fotógrafo Sebastião Salgado.

temer medalha - FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Michel Temer e o ministro da Defesa, Raul Jungmann, durante cerimônia de Imposição da medalha
Imagem: FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Nenhuma autoridade falou no evento. Dodge chegou a ser convidada pela imprensa para dar uma entrevista, mas recusou. Uma mensagem de Temer para a Aeronáutica foi lida por um integrante da corporação, como de praxe nessa modalidade de evento.

Procurada pelo UOL, a PGR informou, por telefone, que a condecoração foi feita pela Força Aérea Brasileira e de forma institucional. A PGR negou relação entre a condecoração e a proximidade da data da votação da denúncia em plenário.

Nem todos compareceram à solenidade realizada na Base Aérea de Brasília nesta segunda por ocasião do Dia do Aviador, comemorado em 23 de outubro.

A condecoração foi criada em 1943 e premia militares da Aeronáutica que tenham prestado serviços notáveis ao país ou tenham se distinguido na profissão. Civis, organizações militares, instituições civis, brasileiras ou estrangeiras, também podem ser agraciadas. Há cinco graus da distinção: Grã-Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro.

Temer cita Santos Dumont

No texto lido, Temer relembrou o feito de Alberto Santos Dumont ao realizar o primeiro voo de uma aeronave de autopropulsão. Ele ainda afirmou que a FAB (Força Aérea Brasileira) é responsável por defender o espaço aéreo brasileiro de 22 milhões de quilômetros quadrados, incluindo 10 milhões no mar do Atlântico, tem importante função social e que 2017 tem sido um ano de “grandes realizações” para a corporação.

Para o presidente, na mensagem, “tendo entre seus pilares a disciplina e a hierarquia, nossa Força Aérea tem cumprido sua tarefa constitucional com profissionalismo e desvelo”.

“Que sigam sendo exemplo de abnegação e honradez no cumprimento de sua missão”, acrescentou.

Temer corre atrás de votos

A imposição das condecorações é o primeiro compromisso público de Temer na semana em que a denúncia deve ser votada. À tarde, o presidente receberá as cartas credenciais de embaixadores estrangeiros para que possam começar a atuar oficialmente no Brasil.

Dodge assumiu a PGR em setembro após ser indicada por Temer para o cargo com o apoio do ministro Torquato Jardim. Ela ficou em segundo lugar na lista tríplice apresentada pela ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República).

Nas últimas semanas, o governo tem feito uma força-tarefa para garantir o apoio da base aliada e, especialmente, dos partidos do centrão.

Entre as estratégias estão prometer e liberar emendas parlamentares, negociar cargos do segundo e terceiro escalões e aprovar pleitos antigos de frentes parlamentares.

O governo precisa que 172 dos 513 deputados votem a favor do parecer de Andrada, ou seja, contra a denúncia, para que a peça seja arquivada até o fim dos mandatos de Temer, Padilha e Moreira Franco.

Em 2ª denúncia, Temer é acusado de dois crimes

UOL Notícias

Política