Topo

"Pelo fim da corrupção", Bolsonaro vota por aceitar denúncia contra Temer

Em 2ª denúncia, Temer é acusado de dois crimes

UOL Notícias

Paula Bianchi

Do UOL, em Brasília

2017-10-25T21:05:42

2017-10-25T21:27:26

25/10/2017 21h05Atualizada em 25/10/2017 21h27

Pré-candidato à Presidência da República, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) se absteve de polêmicas e votou pela aceitação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB).

“Com a coerência de sempre, pelo fim da corrupção, meu voto é não pelo prosseguimento das investigações”, afirmou brevemente. Deputado por São Paulo, seu filho, Eduardo Bolsonaro (PSC), também votou pela aceitação da denúncia.

Em agosto, os dois já tinham se posicionado pela aceitação da primeira denúncia contra Temer. “Para ser uma grande nação o Brasil precisa de um presidente honesto, cristão e patriota. Meu voto é não”, disse Jair Bolsonaro ao justificar seu voto à época.

Pela segunda vez a Câmara dos Deputados barrou a autorização para que uma denúncia criminal contra o presidente pudesse ser julgada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).
 
Nesta quarta-feira (25), os deputados decidiram, em votação no plenário, rejeitar as acusações contra Temer e os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Eliseu Padilha (Casa Civil). Agora, eles só poderão ser processados após deixarem os cargos.
 
Apesar de a rejeição da denúncia já ser esperada, até por políticos da oposição, a votação deve indicar o apoio ao Planalto para conseguir aprovar projetos tratados como prioridade pelo governo como a reforma da Previdência e alterações no sistema tributário. Temer termina o mandato no final de 2018.