PUBLICIDADE
Topo

Política

Economista ligado a Alckmin e ex-secretário de Dilma são alvo da Zelotes

Do UOL, em São Paulo

26/07/2018 09h33Atualizada em 26/07/2018 11h08

O economista Roberto Giannetti da Fonseca, ligado ao pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, e o ex-secretário de comércio exterior do governo Dilma, Daniel Godinho, são alvo de buscas da décima etapa da Operação Zelotes, deflagrada nesta quinta-feira (26). Segundo o MPF (Ministério Público Federal), são apuradas irregularidades junto ao Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) que causaram prejuízos de cerca de R$ 900 milhões.

Giannetti é suspeito de receber pagamentos para ajudar a siderúrgica Paranapanema a se livrar de débitos de R$ 900 milhões, aplicados pelo Fisco, no Carf, em 2014. 

De acordo com o MPF do Distrito Federal, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Distrito Federal, mas não houve mandado de prisão expedido na nova fase da operação. A Receita Federal também atua na operação, auxiliando nas investigações.

Iniciada há três anos, a Zelotes apura esquemas de sonegação fiscal no país. Grupos atuavam junto ao Carf, órgão do Ministério da Fazenda, para reverter ou anular multas. Até o momento, as apurações totalizam 20 ações penais, dezoito processos administrativos disciplinares, quatro processos de responsabilização de pessoas jurídicas e sete arguições de nulidade de decisão já admitidas e em tramitação junto ao Conselho. (Com agências)

Política