PUBLICIDADE
Topo

Política

Witzel diz que Rio não precisa privatizar Cedae para pagar dívida com União

O governador eleito Wilson Witzel (à esq.) - Carlos Magno / Governo do Rio de Janeiro
O governador eleito Wilson Witzel (à esq.) Imagem: Carlos Magno / Governo do Rio de Janeiro

Luis Kawaguti

Do UOL, no Rio

27/11/2018 21h59

O governador eleito do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC) afirmou que a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) não precisa ser privatizada porque tem créditos da ordem de R$ 5 bilhões com o governo federal.

A privatização da Cedae era uma das condições aceitas pelo Rio de Janeiro para entrar no regime de recuperação fiscal, que suspende o pagamento de dívidas com a União.

“Isso é algo que eu vou levar para o Paulo Guedes [apontado pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, como o futuro ministro da Economia] para mostrar que a Cedae não precisa ser privatizada e que a gente tem condições de pagar essa dívida sem a venda da Cedae”, disse.

Witzel se reuniu nesta terça-feira com o governador Luiz Fernando Pezão (MDB) e com sua equipe de secretários. Ele disse que a dívida do Rio com a União é de cerca de R$ 8 bilhões. Com os créditos da Cedae e com outros créditos que o estado teria a receber, o governador eleito disse ser possível liquidar a dívida até o final de 2019.

Pezão afirmou que os créditos da Cedae se referem a duas ações judiciais vencidas pela companhia no STF (Supremo Tribunal Federal). Uma delas se refere a um processo de imunidade tributária de Pis e Cofins e outra é referente a imposto de renda – cada uma somando cerca de R$ 2,5 bilhões.

Witzel disse, porém, que o acordo de recuperação fiscal firmado em 2017 será honrado. “Temos propostas para pagar essa dívida.

Política