Topo

Evento com Bolsonaro tem agradecimento a Dilma, desmaio e orgulho militar

Gustavo Maia, Hanrrikson de Andrade e Luís Adorno

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

04/01/2019 12h33Atualizada em 04/01/2019 15h25

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), e seu vice, general Hamilton Mourão (PRTB), estiveram na cerimônia de passagem de comando da Aeronáutica, em Brasília, na manhã desta sexta-feira (4). Bolsonaro nomeou o tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermúdez, 62, para exercer o cargo.

Bolsonaro não discursou durante a solenidade e ouviu agradecimentos do ex-comandante aos ex-presidentes Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB).

"Agradeço ao tenente-brigadeiro Saito, meu antecessor no comando da Aeronáutica, e que teve grande influência na formação da minha visão da Força Aérea. À presidente Dilma e ao presidente Temer por terem me confiado e mantido no comando desta instituição. Tenham a certeza que tudo fiz para honrar este cargo", disse o tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato antes de desejar sucesso a Bermúdez. 

Rossato fez referência a ameaças e pediu a união das Forças Armadas. "Não podemos nos enganar. As ameaças existem e estão mimetizadas e prontas para mostrar a sua força, aproveitando a vulnerabilidade. Por isso, precisamos estar alinhados com Exército e Marinha, porque, senão, todo o trabalho feito anteriormente, será em vão", afirmou Rossato.

Jair Bolsonaro durante solenidade de passagem do comando da Aeronáutica - Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro durante solenidade de passagem do comando da Aeronáutica
Imagem: Marcos Corrêa/PR

Bermúdez está há 43 anos na FAB (Força Aérea Brasileira) e assumiu o lugar de Rossato. As respectivas nomeação e exoneração foram publicadas no DOU (Diário Oficial da União) desta sexta-feira (4).

"Sinto-me desafiado. Todavia, muito à vontade, por ver na minha ala homens e mulheres, voando e fazendo voar, constituem um terreno fértil", afirmou o novo comandante em seu primeiro discurso. "Não são os mais fortes que sobrevivem, e, sim, os que mais rápido se adaptam", disse.

Bermúdez afirmou, também, que o leque de responsabilidade da Aeronáutica vai além e corresponde à defesa da pátria como um todo. "Como parte desta visão, continuaremos a modernizar o sistema integrado de controle aéreo", disse.

Temos orgulho do que fomos, temos orgulho do que somos, mas inquieta-me o que seremos

Antonio Carlos Bermúdez, novo comandante da Aeronáutica

O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, afirmou durante a cerimônia que Rossato teve a missão cumprida e que Bermúdez tem a confiança do governo, citando parte do slogan do presidente Bolsonaro: "Brasil acima de tudo".

Durante a cerimônia, um militar perfilado de frente para a tribuna onde está Bolsonaro se sentiu mal e foi retirado pelos colegas. Em uma área atrás do telão que transmite a solenidade, ele foi colocado em uma cadeira de rodas e atendido por médicos. Segundo a assessoria da Aeronáutica, o militar teve uma queda de pressão devido ao forte calor em Brasília e foi medicado.

Militar desmaia durante evento com presidente Jair Bolsonaro, em Brasília - 04.jan.2018 - Hanriksson de Andrade/UOL
Militar desmaia durante evento com presidente Jair Bolsonaro, em Brasília
Imagem: 04.jan.2018 - Hanriksson de Andrade/UOL

O comando da Aeronáutica tem efetivo de mais de 71 mil integrantes, sendo 66 mil militares, com o objetivo de "manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da pátria".

Após a cerimônia, a Esquadrilha da Fumaça se apresentou. Bolsonaro deixou o local após o Hino Nacional. 

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente, também foi ao evento e passou a cerimônia de pé, embaixo de uma das tribunas ocupadas pelos convidados, conversando com dois auxiliares do pai.

Política