PUBLICIDADE
Topo

Política

"Não passa nem perto", diz Bivar sobre chance de deixar presidência do PSL

O presidente do PSL, Luciano Bivar, no escritório de sua empresa, no Recife - Clara Gouvêa 3.dez.2018/UOL
O presidente do PSL, Luciano Bivar, no escritório de sua empresa, no Recife Imagem: Clara Gouvêa 3.dez.2018/UOL

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

20/02/2019 11h26

O presidente do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, Luciano Bivar, disse hoje que não "passa nem perto" a possibilidade de deixar a presidência da sigla. 

"Não passa nem perto disso daí [deixar a presidência]. Estamos vivendo em um Estado de Direito, onde as instituições partidárias estão funcionando perfeitamente. Eu acho que o partido está muito bem. Muito unido", disse.

Bivar foi relacionado ao repasse de dinheiro para supostas candidaturas laranjas, a partir de reportagens divulgadas pela "Folha de S. Paulo". As declarações de Bivar foram feitas após Bolsonaro entregar o projeto de reforma da Previdência na Câmara.

A crise no PSL também impactou na Câmara, onde o governo teve sua primeira derrota, ontem. 

A maioria dos deputados aprovou um projeto que derruba o decreto assinado pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, com regulamentações sobre o sigilo na Lei de Acesso à Informação.

20.fev.2018 - Após entrada de Jair Bolsonaro e membro do governo no Congresso para anúncio de projeto de reforma da Previdência, em breve, a bancada do Psol foi fez um ato contra as suspeitas de uso decandidatos laranja pelo PSL. Os parlamentares seguravam laranjas nas mãos e usavam aventais laranja. ?Capitão do laranjal?, disse o líder do partido, Ivan Valente, em referência a Bolsonaro. Ivan Valente também criticou a reforma - Guilherme Mazieiro/UOL - Guilherme Mazieiro/UOL
PSOL protesta contra as suspeitas de uso de candidatas "laranja" pelo PSL
Imagem: Guilherme Mazieiro/UOL

"[O partido] não está rachado. É claro, é uma especulação natural da imprensa", disse Bivar.

O parlamentar votou contra o governo ontem e justificou que se enganou.

"Você vê a votação de ontem, por incrível que pareça, voto enganado meu, que depois eu retifiquei em público", disse. 

Ministro é um "corretíssimo"

Reportagens publicadas pela "Folha de S. Paulo" mostraram que o grupo político de Bivar, em Pernambuco, teria criado uma candidata laranja durante as eleições. Situação semelhante teria acontecido em Minas Gerais, sob comando do deputado eleito e atual ministro do Turismo Marcelo Antonio Álvaro.

"O ministro do Turismo é um cara corretíssimo. O Jair deve muito ao esforço dele em conjunto com outros agentes para gente mudar isso tudo. O governo está muito bem estruturado", avaliou Bivar.

A crise desencadeada com divulgação de candidaturas laranjas culminou na queda do ex-ministro da Secretaria-Geral de Presidência, Gustavo Bebianno, na segunda-feira (18).

Política