Topo

"Não tem partido santo", diz senador do MDB sobre prisão de Temer

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

21/03/2019 14h16

Colega de partido de Michel Temer, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) afirmou que a prisão do ex-presidente é uma "lição" para todos os políticos no país, que passaria atualmente por uma fase em que ter "poder político e econômico" não presume impunidade.

Questionado se a ação da Lava Jato significava mais um golpe para o MDB, que teve líderes presos nos últimos anos devido a escândalos de corrupção, Bittar disse que "não há partido santo".

"Se tem uma coisa que ficou provada nesses anos todos é que o sistema não poupou ninguém. Não tem partido santo: do bem contra o mal. Nós somos da ética e vocês não são... não é assim."

"Não sobrou partido nenhum", completou Márcio Bittar.

Internamente, segundo a visão do parlamentar, a prisão de Temer e do ex-ministro Moreira Franco não deve representar grandes mudanças.

"Mesmo antes disso [ação da Lava Jato], ontem, eu participei do começo da reunião da Executiva... o Jucá [Romero Jucá, ex-senador e veterano do partido] abriu dizendo categoricamente que não é candidato à reeleição. (...) Não tem clima, essa não tem volta. Vai ter que ter uma outra Executiva."

O MDB deve realizar a sua próxima convenção nacional em setembro, quando os filiados escolherão o novo comando da sigla.

Veja o momento em que Temer é preso em São Paulo

UOL Notícias

Política