PUBLICIDADE
Topo

Namorada, deserto, brincar de presidir: as falas da crise Maia x Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Arte/UOL
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) Imagem: Arte/UOL

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

29/03/2019 04h00

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), podem até ter chegado ao dia de hoje em clima de reconciliação, mas gastaram muita munição verbal entre si nos últimos dez dias.

Enquanto Maia atacava a falta de articulação do governo federal junto aos parlamentares, Bolsonaro revidava com a defesa de uma "nova política".

O chumbo trocado teve como pano de fundo a tramitação da reforma da Previdência e do pacote anticrime no Congresso Nacional -- as principais bandeiras dos ministros Paulo Guedes (Economia) e Sergio Moro (Justiça), estrelas da Esplanada bolsonarista, que também deram suas contribuições ao tiroteio.

Ontem, o presidente disse que tudo não passou de uma "chuva de verão". Mas até a água cair, Brasília pegou fogo -- e o clima político continua imprevisível. A seguir, relembre as frases que jogaram lenha na fogueira da política nacional.

Funcionário do presidente

O funcionário do presidente Bolsonaro? Ele conversa com o presidente Bolsonaro e se o presidente Bolsonaro quiser ele conversa comigo

Rodrigo Maia sobre Moro no dia 20

Maia já estava incomodado com as falas de Bolsonaro sobre pressões da "velha política" e com a distância do presidente na articulação para a reforma da Previdência. Quando Moro cobrou celeridade na tramitação do pacote anticrime, o presidente da Câmara reagiu. Moro depois respondeu que o combate ao crime não pode ser "adiado indefinidamente".

Moro cobra Maia, que o chama de "funcionário do presidente"

UOL Notícias

Filho entra na história

O clima já não era dos melhores quando o ex-ministro Moreira Franco --sogro de Maia-- foi preso na Operação Lava Jato, no dia 21. Horas depois da prisão, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente, publicou a frase abaixo acompanhada da resposta de Moro ao presidente da Câmara.

Por que o presidente da Câmara anda tão nervoso?
Carlos Bolsonaro no Instagram, no dia 21

Por que o Presidente da Câmara anda tão nervoso?

Uma publicação compartilhada por Carlos Bolsonaro (@carlosbolsonaro) em

A namorada e o deserto

Maia teria explodido com a alfinetada de Carlos, e alertado o governo de que poderia deixar a articulação pela reforma da Previdência. A reação de Bolsonaro foi:

Você nunca teve uma namorada? E quando ela quis ir embora o que você fez para ela voltar, não conversou? Estou à disposição para conversar com o Rodrigo Maia, sem problema nenhum
Jair Bolsonaro no dia 22

O presidente da Câmara rebateu dizendo que não precisava namorar e cobrando que Bolsonaro assumisse a liderança na votação da reforma. No dia seguinte, Maia subiu o tom.

O governo é um deserto de ideias (...) Qual é o projeto do governo Bolsonaro fora a Previdência?
Maia no dia 23

O que falta?

Em visita oficial ao Chile, Bolsonaro evitou criticar Maia diretamente, mas não abriu mão de culpar a "velha política" pelos atritos com o Congresso.

Agora, o que é articulação? O que é que está faltando eu fazer? O que foi feito no passado não deu certo e não seguirei o mesmo destino de ex-presidentes, pode ter certeza disso
Bolsonaro no dia 23

Maia critica falta de empenho de Bolsonaro, que responde: "O que tá faltando eu fazer?"

UOL Notícias

Brincando de presidir

Depois de um fim de semana em que Maia falou em "baixar a temperatura" e Bolsonaro, em ter uma relação pacífica com Maia, o presidente foi ao "Brasil Urgente", da Band, na terça-feira e disse que o presidente da Câmara estaria "abalado por questões pessoais" -- uma possível referência à prisão de Moreira Franco. A resposta de Maia veio pouco depois.

Abalados estão os brasileiros, que estão esperando desde 1º de janeiro que o governo comece a funcionar. São 12 milhões de desempregados, 15 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza e o presidente brincando de presidir o Brasil
Maia na quarta-feira (26)

Bolsonaro revidou e se manteve firme no discurso de combate à "velha política".

É muita irresponsabilidade. Brincar... Vocês sabem: se alguém quiser que eu faça o que os presidentes anteriores fizeram, eu não vou fazer (...) Não existe brincadeira da minha parte, pelo contrário
Bolsonaro na quarta-feira (26)

Bolsonaro diz que Maia está "abalado" e ouve que precisa parar de "brincar de presidir"

Band Notí­cias

O alerta de Guedes

Em paralelo ao embate público entre Maia e Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, deu sua contribuição ao incêndio político quando foi perguntado se ficaria no cargo em caso de fracasso na aprovação da reforma da Previdência.

Se ninguém quiser o serviço, vai ser um prazer ter tentado, mas não tenho apego ao cargo, desejo de ficar a qualquer custo. Como também não tenho a inconsequência e a irresponsabilidade de sair na primeira derrota
Paulo Guedes na quarta-feira (26)

Após a fala de Guedes, a Bolsa caiu e o dólar chegou ao maior valor em quase seis meses, resvalando nos R$ 4.

Guedes: "Se ninguém quiser o serviço, vai ser um prazer ter tentado, mas não tenho apego ao cargo"

UOL Notícias

Depois da tempestade...

Se foi o dólar ou foi o cansaço, o fato é que os principais envolvidos chegaram ao dia de ontem em clima de paz e amor.

Para mim, isso foi uma chuva de verão. O sol está lindo e o Brasil está acima de nós. (...) Da minha parte não tem problema nenhum. Vamos em frente. (...) Página virada. Um abraço para o Rodrigo Maia
Bolsonaro ontem

Seguindo o tom do presidente, Moro tomou café da manhã com Maia e disse que era hora de "seguir adiante" e deixar "bobeiras" de lado. O presidente da Câmara também recebeu Paulo Guedes para um almoço com deputados. E, ao lado de Guedes, quis dar um ponto final ao bate-boca.

Esse assunto que vocês estão perguntando está encerrado. Nós estamos cuidando da Previdência
Maia ontem

Bolsonaro: rusgas foram "chuva de verão"

UOL Notícias

Política