Topo

"Não estou no Nordeste, estou no Brasil", diz Bolsonaro em Petrolina

Luciana Amaral

Do UOL, em Petrolina (PE)

24/05/2019 16h05Atualizada em 24/05/2019 19h00

Em sua primeira visita ao Nordeste desde que tomou posse, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que "o Brasil é nossa pátria, um só povo, uma só raça". "Eu não estou no Nordeste, estou no Brasil", completou, ao discursar em Petrolina (PE) na entrega de chaves de imóveis do programa Minha Casa Minha Vida.

Na cidade ao lado do rio São Francisco, Bolsonaro inaugurou um condomínio fechado particular de 472 apartamentos. O empreendimento foi financiado pela Caixa Econômica Federal com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Após dizer que tem o "coração pernambucano", Bolsonaro dirigiu-se ao "povo trabalhador de Petrolina". "Sou o presidente de todos vocês. Disse há pouco em reunião com os governadores que temos de botar o Brasil em local de destaque. Juntos chegaremos lá".

A compra das unidades pode ser financiada por meio do programa habitacional Minha Casa Minha Vida para famílias que se enquadram na faixa 1,5 - de renda mensal de até R$ 2,6 mil. Os preços dos apartamentos partem de R$ 105 mil e as obras estão 93% concluídas, segundo o site da construtora do complexo.

Cada imóvel tem 47 metros quadrados, divididos em dois quartos, banheiro, sala, jardim ou varanda, cozinha e área de serviço. O espaço oferece áreas de lazer, como piscina, churrasqueira, brinquedoteca, salão de festas, minipista de bicicross. O condomínio começou a ser construído em julho de 2017, durante mandato do ex-presidente Michel Temer (MDB).

Residencial do Minha Casa Minha Vida em Petrolina (PE) - Luciana Amaral/UOL
Residencial do Minha Casa Minha Vida em Petrolina (PE)
Imagem: Luciana Amaral/UOL

A Caixa ainda anunciou uma linha de crédito da Caixa para produtores de uva e manga no Vale do São Francisco.

Antes de discursar, o presidente visitou uma unidade do condomínio.

Bolsonaro nega animosidade em reunião com governadores do Nordeste

UOL Notícias

O presidente e a comitiva chegaram a Petrolina no Aeroporto Senador Nilo Coelho às 14h45, onde foram recebidos pelo prefeito do município, Miguel Coelho (sem partido). Miguel é filho do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), ambos da mesma família do político que deu nome ao aeroporto local.

Um grupo de apoiadores recepcionou Bolsonaro em sua chegada ao aeroporto. Eles levaram bandeiras do Brasil e faixas de apoio. O presidente chegou a sair do carro para cumprimentar parte dos presentes. Do outro lado do veículo, um dos filhos de Bolsonaro, Jair Renan, filmava a cena com um celular.

Detalhe de parquinho no residencial em Petrolina - Luciana Amaral/UOL
Detalhe de parquinho no residencial em Petrolina
Imagem: Luciana Amaral/UOL

O grupo chegou ao condomínio, a cerca de 10 minutos do centro de Petrolina, em comboio de carros, sem acesso ao público geral.

Bolsonaro esteve acompanhado dos ministros Osmar Terra (Cidadania), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), Floriano Peixoto (Secretaria-Geral), Santos Cruz (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além de políticos locais como o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE) e Bezerra Coelho.

No evento, Bolsonaro ganhou uma bandeira do município de Petrolina e uma cesta com produtos da região, como uma estátua de um bode e frutas. O Vale do São Francisco é considerado a capital da fruticultura irrigada do Nordeste.

Gritos de "mito" para Bolsonaro

UOL Notícias

Ao entregar uma das chaves simbólicas dos apartamentos para uma família, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), foi vaiado. Parte dos presentes ainda gritaram "Fora, Paulo".

Baixa popularidade no Nordeste

Mais cedo, Bolsonaro esteve no Recife, onde participou de reunião do conselho deliberativo da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) a portas fechadas com governadores da região, do Espírito Santo e de Minas Gerais. Ele lançou o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste, documento com metas de médio prazo que reúne 880 propostas dos governos estaduais, e anunciou mais R$ 4 bilhões para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste.

A investida do presidente na região acontece após cinco meses de mandato e busca aproximá-lo da população, perante a qual sua imagem continua não sendo das melhores desde as eleições de outubro, quando perdeu no Nordeste para o concorrente Fernando Haddad (PT).

Pesquisa Ibope/CNI de abril, a mais recente disponível, mostra que o Nordeste é onde Bolsonaro tem sua a pior avaliação. Na região, 40% avaliam Bolsonaro como ruim ou péssimo, 58% dizem não confiar nele e 55% desaprovam seu modo de governar.

No evento, o prefeito Miguel Coelho disse que o presidente conta com um aliado em Petrolina e que o "Nordeste está com o senhor".

"Não se deixe cair na pecha de que o senhor não é bem-vindo. O Nordeste faz parte do senhor", declarou. O público então aplaudiu e começou a gritar "mito", apelidado dado ao presidente pelos apoiadores.

Política