Topo

Fundação do PSL de Bolsonaro pagou despesa de blogueiro ligado a fake news

O blogueiro Allan dos Santos - Terça Livre
O blogueiro Allan dos Santos Imagem: Terça Livre

Leandro Prazeres

Do UOL, em Brasília

26/06/2019 04h00Atualizada em 26/06/2019 08h17

Uma fundação mantida com recursos do Fundo Partidário e vinculada ao PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, pagou despesas de um blogueiro conservador conhecido por divulgar notícias falsas.

Documentos obtidos pelo UOL junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mostram que a Fundação Indigo pagou passagens de avião e diárias de hotel para que o blogueiro Allan dos Santos, um dos fundadores do site Terça Livre, participasse da Cúpula Conservadora das Américas, em dezembro de 2018. Allan sempre afirmou não ser bancado por partido político.

A Indigo (sigla para Instituto de Inovação e Governança) é a fundação do PSL, presidida por Sérgio de Petribu Bivar, filho do atual presidente nacional do PSL, Luciano Bivar.

Procurado pelo UOL, o blogueiro disse que está "movendo algumas ações judiciais a vários jornalistas e órgãos de mídia que buscam manchar a imagem do meu trabalho" e que não cobrou pela palestra (veja a íntegra de sua resposta e a transcrição do vídeo divulgado em sua rede social ao final do texto).

Os recibos referentes às despesas de Allan dos Santos constam da prestação de contas do PSL à Justiça Eleitoral. Todos os anos, os partidos e suas fundações precisam prestar contas de como utilizaram os recursos que receberam, seja por meio de doações privadas, ou por meio do Fundo Partidário, composto por recursos públicos.

A legislação eleitoral permite que partidos mantenham fundações com o intuito de promover atividades educacionais, políticas e de formação de militância. Em 2018, a fundação consumiu R$ 1,8 milhão em recursos do Fundo Partidário (veja planilha abaixo).

A cúpula foi voltada à militância conservadora que, à época, se aglutinou, principalmente, em torno da candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência.

O evento deveria acontecer no dia 28 de julho, mas foi cancelado três dias antes, no dia 25, pelo então presidente do PSL, Gustavo Bebianno, para evitar questionamentos da Justiça Eleitoral.

À época, Allan e o site Terça Livre já se notabilizavam como alguns dos principais influenciadores digitais da direita e como alguns dos maiores entusiastas da candidatura de Bolsonaro à Presidência.

Em seu canal no YouTube, há dezenas de vídeos com críticas a partidos de esquerda, entre eles o PT, e elogios a Bolsonaro e ao seu governo.

Após o cancelamento, a Cúpula Conservadora das Américas foi remarcada para dezembro daquele ano. Ele foi um dos convidados da cúpula e chegou a mediar um painel com políticos de direita da América Latina.

Na ocasião, Allan também entrevistou o ex-presidente da Suprema Corte da Venezuela Miguel Angel Martin Tortabu, atualmente exilado nos Estados Unidos. A entrevista foi veiculada no canal do Terça Livre no YouTube. O vídeo tem 37 minutos de duração e é interrompido por anúncios, o que indica que ele está sendo monetizado.

De acordo com os documentos, as passagens de ida e volta entre Porto Alegre e a cidade paranaense custaram R$ 1.242,80 (veja abaixo).

Uma fatura mostra o nome de Allan dos Santos na lista das pessoas que tiveram suas passagens pagas pela fundação.

Os extratos da conta bancária da Fundação Indigo mostram um depósito de R$ 23.207,19 na conta da agência Salt Viagem.

Além disso, a fundação pagou pela hospedagem do blogueiro no hotel Recanto, no valor de R$ 1.830 (para as datas entre 7 e 10 de dezembro).

Documentos indicam proximidade entre PSL e blogueiro

Os documentos obtidos pelo UOL mostram a proximidade entre o partido de Jair Bolsonaro e o blogueiro, que já foi convidado para um café da manhã entre jornalistas e o presidente.

Três dias antes da votação para a Presidência, em 2018, o blogueiro realizou uma entrevista com o então candidato Jair Bolsonaro. Após a apuração do resultado, Allan publicou um vídeo ao lado de Bolsonaro, parabenizando-o pela vitória.

Neste ano, se envolveu em diversas polêmicas envolvendo jornalistas, com declarações falsas utilizando perfis fakes. Outro profissional foi atacado por procurá-lo em sua residência, no interior do Rio Grande do Sul, durante a apuração de uma reportagem.

Leia a íntegra da resposta de Allan dos Santos

"Serei o mais sucinto possível. Estou movendo algumas ações judiciais a vários jornalistas e órgãos de mídia que buscam manchar a imagem do meu trabalho. O portal UOL e o Grupo Folha recebeu [sic] milhões por ano da Secom [Secretaria de Comunicação da Presidência] e você quer que eu responda às perguntas sobre compra de passagens em um evento que eu sequer cobrei a palestra. Isso é patético. Se houver qualquer manipulação na matéria, resolverei isso na Justiça.

Essa é a minha resposta.

Atenciosamente,

Allan dos Santos".

Mais tarde, resolveu se pronunciar em seu Twitter sobre o caso. Fez um vídeo em que relatou o caso à sua maneira:

"De repente eu vejo que tem um monte de ligação de um número que eu não conheço. E aí me vem a mensagem de Leandro Prazeres, repórter do UOL, querendo que eu responda algumas perguntas. Fui ver as perguntas, e as perguntas eram as seguintes: 'Você disse que não recebe dinheiro de partido, mas o instituto Indigo pagou a sua passagem para a Cúpula das Américas, em Foz do Iguaçu. Por que você não falou para o seu público quem pagou a sua passagem?'.

Depois, algumas perguntas --vou colocar aqui na tela as perguntas que ele colocou-- querendo insinuar que, ao pagar a minha passagem para a Cúpula das Américas, eu estaria sendo financiado por partido.

O UOL recebe milhões de reais --recebia, agora não mais no governo do Bolsonaro--, o Grupo UOL, que faz parte do Grupo Folha, recebia milhões da Secom.

Aí eu não cobro palestra, vou para a palestra simplesmente com a passagem e a estadia, coisa que qualquer pessoa faz. Por mim, no Terça Livre. Essa semana mesmo eu tô indo para Criciúma e os organizadores do evento, que não são do PSL, pagaram a minha passagem e a minha estadia, e eles querem botar esse frame, essa moldura, eles querem te colocar e te enquadrar, no caso querem me enquadrar, numa pessoa que recebe dinheiro de partido para poder falar isso para o público.

Essa é a imprensa brasileira, que não entendeu ainda que o lugar deles já está acabado, eles vão vender uma narrativa mentirosa e falsa. Estou só esperando.

E respondi ao repórter Leandro Prazeres que, se ele manipular a matéria, ou se o UOL manipular a matéria, eu vou ingressar com ação judicial tanto contra o Grupo UOL, contra o Grupo Folha, quanto contra o próprio Leandro Prazeres. Se for manipulado, nós vamos resolver isso na Justiça, como eu tenho feito com todo mundo".

O PSL disse que "os recursos aplicados pela Fundação Indigo na Cúpula Conservadora das Américas foram utilizados de forma transparente e dentro da legalidade".

"A fundação tem previsão legal e propósito específico, qual seja, o fomento à educação política, bem como a formação e discussão de projetos dentro da linha ideológica de cada partido. Ressalte-se que as fundações têm destinação mínima de recursos por parte da direção de cada partido garantida em lei", comunicou em nota.

O que Allan dos Santos não respondeu

Estas foram as perguntas feitas pela reportagem do UOL. Allan dos Santos não respondeu a nenhuma delas:

1 - Quem custeou sua ida à Cúpula Conservadora das Américas?

2 - O PSL anexou documentos à sua prestação de contas de 2018 mostrando que foi a Fundação Indigo, fundação partidária mantida pelo PSL, quem pagou suas passagens e sua hospedagem para o evento. Você chegou a reembolsar esse dinheiro à Fundação?

3 - De quem partiu o convite para a sua ida ao evento?

4 - No site Terça Livre e em alguns vídeos no seu canal no YouTube há a menção de que o Terça Livre não receberia recursos de partidos ou grupos políticos. Entretanto, ao longo do evento e depois dele, o Terça Livre veiculou vídeos com entrevistas realizadas na Cúpula que só foram feitos porque a Fundação Indigo custeou sua ida. Esses vídeos contêm anúncios, o que indica que eles são monetizados. Por que não há menções nesses vídeos sobre quem custeou sua ida à cúpula?

5 - Você considera que essa informação era relevante ao seu público? Se não, por quê?

6 - Você considera que o fato de uma fundação ligada a um partido ter pago despesas suas fere a sua independência político-partidária e a do Terça Livre? Se não, por quê?

7 - Em julho, a Fundação Indigo também pagou sua passagem para Foz do Iguaçu, mas o evento foi cancelado às vésperas do seu início. Você chegou a utilizar essa passagem?

8 - O senhor publicou três postagens no Twitter sobre a Cúpula Conservadora. Em nenhuma delas, o senhor mencionou quem custeou sua ida para lá. Na sua avaliação, essa informação não merecia ter sido divulgada ao seu público?

Sobre a menção de que o UOL recebe "milhões de reais" da Secom, no ano passado o portal obteve R$ 191.246,11 em publicidade governamental --ou 0,1% dos R$ 167.607.915,50 destinados pelo governo para publicidade em veículos de comunicação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Política