Topo

Em culto, Bolsonaro atribui 'solidão do poder' à falta de lealdade com povo

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

21/07/2019 11h51Atualizada em 21/07/2019 14h44

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje, durante um culto evangélico em Brasília, que a solidão sentida no poder, como dita por diversos governantes, se deve à falta de lealdade com o povo e ao "afastamento de Deus".

"Ouvi dos que me antecederam que, logo nas primeiras semanas que assumiram o cargo, começaram a sentir a solidão do poder. O que posso dizer de mim, acredito que essa solidão venha por dois motivos. Pelo descompromisso com a lealdade ao povo brasileiro. E o segundo por afastamento de Deus, nosso criador", disse, durante um culto evangélico na igreja Sara Nossa Terra, no Sudoeste, bairro nobre de Brasília.

Também estavam presentes a primeira-dama, Michelle, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e a mulher dele, Denise Veberling.

Mais cedo, o presidente esteve reunido com Onyx e o Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno. Nenhum deles quis falar com a imprensa na saída.

Missão divina

Bolsonaro e Michelle foram bastante aplaudidos quando o bispo Robson Rodovalho anunciou a presença dos dois no local.

"Estamos recebendo um super amigo, uma visita mega especial, que é o nosso presidente da República e a Michelle. Muito bem-vindos, em nome de Jesus. Que Deus abençoe o nosso Brasil. Presidente, muito bem-vindo. Michele, muito bem-vinda", disse Rodovalho.

O presidente disse, ainda, que "os problemas existem, mas há a vontade de acertar". "O fato de ter amigos ao seu lado, dentro e fora do palácio, e uma família que é a base para aqueles que queiram fazer algo de bom, é o que nos alimenta", disse.

Bolsonaro afirmou que realiza uma "difícil missão", mas ressaltou que "Deus sabe o que faz e capacita os escolhidos". Ele agradeceu ainda o apoio da comunidade evangélica para a sua eleição. "Agradeço por estar vivo e poder realizar essa missão", disse.

A primeira-dama recebeu uma homenagem da igreja e agradeceu pelas orações "pelo momento mais difícil que já passamos na nossa vida". "Assim como meu marido confia que está realizando uma missão de Deus, eu também acredito que estamos em um chamado divino", disse.

Grupo de oração no Alvorada

Ontem, a enteada do presidente, Letícia, recebeu um grupo de amigos da igreja para uma reunião de oração no Palácio da Alvorada.

A igreja Sara Nossa Terra é conhecida por realizar "células" de oração. Esses grupos se reúnem nas casas de membros da Igreja, fazem louvores a Deus e estudam a Bíblia.

Mais Política