PUBLICIDADE
Topo

Fernández diz que Lula é "vítima de sistema judicial" que persegue líderes

Alberto Fernández vai assumir a presidência da Argentina no dia 10 de dezembro - Luis Cortes/Reuters
Alberto Fernández vai assumir a presidência da Argentina no dia 10 de dezembro Imagem: Luis Cortes/Reuters

Do UOL, em São Paulo

06/11/2019 08h23

Alberto Fernández, recém-eleito presidente da Argentina, citou alguns políticos que se enquadrariam, segundo ele, em uma perseguição feita pelo "sistema judicial" em países da América do Sul.

Entre os listados, está o ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril do ano passado.

A afirmação foi feita durante uma palestra de Fernández na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), na capital mexicana, e divulgada pelo jornal El Clarin.

"[Rafael] Correa no Equador, Lula no Brasil e Cristina [Kirchner] na Argentina. Todos foram vítimas de um sistema judicial que articulou para perseguir líderes populares. Correa acabou exilado, Lula foi preso e Cristina ameaçada sistematicamente", disse ele. Cristina, aliás, é a atual vice de Fernández.

Durante o discurso, Fernández pediu novamente a liberdade ao petista e opinou sobre sua condenação.

"Talvez Lula esteja na prisão porque conseguiu o que ninguém conseguiu no Brasil: metade dos brasileiros fazia parte da classe média. Hoje, o país não tem mais esse mérito".

O futuro presidente da Argentina, que assumirá o cargo no mês que vem, também criticou a imprensa local.

"Eu não atribuo o poder à mídia. Se as pessoas acreditassem nos jornais, Cristina e eu não teríamos vencido. Isso me faz pensar: não é tão importante é o poder que eles têm", afirmou.

Política