Topo

Oposição diz que só deixa Embaixada da Venezuela quando invasores saírem

Militantes do PT, CUT e Central de Movimentos Populares cercam Embaixada da Venezuela - Eduardo Militão/UOL
Militantes do PT, CUT e Central de Movimentos Populares cercam Embaixada da Venezuela Imagem: Eduardo Militão/UOL

Eduardoo Militão

Do UOL, em Brasília

13/11/2019 15h17

Passadas mais de 2h30 em que o governo Jair Bolsonaro (PSL) condenou a "invasão" à embaixada da Venezuela e que tomou medidas para "resguardar a ordem", o representante do Itamaraty no local não tomou nenhuma medida. A oposição no Congresso, que está no local, prometeu ficar até a saída dos invasores.

Cerca 15 homens que entraram na Embaixada nesta quarta-feira (10) permanecem na representação diplomática. Parte dos funcionários desertou do governo de Nicolás Maduro e passou a apoiar Juan Guaidó.

Em entrevista na grade da Embaixada, o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), disse que o representante do Itamaraty, o diplomata Maurício Corrêa, afirmou não ter recebido nenhuma ordem do Ministério das Relações Exteriores para retirar manifestantes do local.

Ao UOL, a assessoria do Itamaraty disse que não estava definido se seriam mesmo tomadas providências para retirar os militantes ligados a Guaidó da Embaixada.

O deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) disse que nenhum parlamentar da oposição vai deixar o local. "Só há um desfecho possível: a saída dos invasores. Nós só vamos sair daqui com a saída dos invasores", afirmou Glauber.

Política