Topo

Bolsonaro fala em "invasão" e contradiz Eduardo sobre situação da embaixada

Do UOL, em São Paulo

13/11/2019 12h47Atualizada em 13/11/2019 14h46

Resumo da notícia

  • Jair Bolsonaro disse repudiar "a invasão da Embaixada da Venezuela por pessoas estranhas à mesma"
  • Horas antes, o filho dele Eduardo Bolsonaro havia afirmado que se tratava "do certo, o justo"
  • Embaixada foi invadida nesta manhã por apoiadores de Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela
  • Ato causou preocupação na ONU e foi criticada pelo chanceler da Venezuela

O presidente Jair Bolsonaro e seu filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL-SP, divergiram na manhã de hoje ao analisarem a invasão que ocorreu na embaixada da Venezuela em Brasília.

Bolsonaro usou seu perfil nas redes sociais para repudiar a invasão da embaixada feita por pessoas ligadas a Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela.

"Repudiamos a invasão da Embaixada da Venezuela por pessoas estranhas à mesma. Já tomamos as medidas necessárias para resguardar a ordem, em conformidade com a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas", foi a mensagem postada no perfil oficial de Jair Bolsonaro.

Presidente Jair Bolsonaro repudiou invasão da embaixada venezuelana - Reprodução/Facebook
Presidente Jair Bolsonaro repudiou invasão da embaixada venezuelana
Imagem: Reprodução/Facebook

Pouco tempo depois, a mensagem postada no perfil do presidente foi apagada e substituída por uma nova versão.

"Diante dos eventos ocorridos na Embaixada da Venezuela, repudiamos a interferência de atores externos. Estamos tomando as medidas necessárias para resguardar a ordem pública e evitar atos de violência, em conformidade com a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas."

Mais cedo, Eduardo Bolsonaro usou seu perfil no Twitter para analisar a invasão e disse: "Ao que parece, agora está sendo feito o certo, o justo".

"Nunca entendia essa situação. Se o Brasil reconhece Guaidó como presidente da Venezuela, por que a embaixadora Maria Teresa Belandria, indicada por ele, não estava fisicamente na embaixada? Ao que parece agora está sendo feito o certo, o justo", escreveu Eduardo.

Eduardo Bolsonaro seguiu defendendo a invasão da embaixada venezuelana em seu perfil no Twitter mesmo após o governo e seu pai emitirem declarações oficiais repudiando o ocorrido.

A declaração de Eduardo Bolsonaro causou "pânico e indignação" em uma ampla parcela do Itamaraty, como revelou o Blog do Jamil Chade.

A invasão da embaixada também causou preocupação na Organização das Nações Unidas. A entidade emitiu um alerta após ser questionada pelo jornalista.

"Como resposta, a ONU declarou: "todos os estados membros são responsáveis pela segurança das embaixadas e dos funcionários diplomáticos em seus países, em linha com a Convenção de Viena".

Ouça o podcast Ficha Criminal com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil.

Este e outros podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política